20/01/2011

DICAS SIDNEY: Cenários para serem desvendados em tours a pé

Posted in CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , at 16:47 por sidneycambio

 

Cenários para serem desvendados em tours a pé:

Os estúdios e casas por onde os garotos de Liverpool passaram na capital inglesa, fazem parte do roteiro do The Beatles Magical Mistery Tour, oferecido pela London Walks.

O giro parte de Tottenham Court, passa pela Abbey Road e vai até Indica Gallery, galeria de arte onde John Lennon e Yoko Ono se encontraram pela primeira vez, em 1966.

A empresa ainda oferece os passeios a pé: Harry Potter, Casamento Real, Jack o estripador e Fantasmas de Londres.

Seviço:

A maioria dos passeios organizados pela London Walks custa 8 libras por pessoa, com exceção do tour “Harry Potter”, que sai por 3 libras. Mais informações: http://www.walks.com/.

Madri

No tour La época de los Borbones, o turista percorre a pé – por uma hora e meia – os palácios, avenidas e outros monumentos, construídos pelos reis da dinastia Bourbon na capital espanhola.

O giro, que ocorre todos os domingos, às 10 horas, começa no escritório de informação turística na Plaza Mayor e inclui paradas no Palácio Real, Praça de Cibeles, Palácio das Comunicações, Porta de Alcalá, Museu do Prado e Jardim Botânico.

Serviço:

O passeio La época de los Borbones, oferecido pelo Escritório de Turismo de Madri, custa 3,90 euros.

Mais informações no site http://www.madrid-tourist-guide.com/.

Munique

Nada mais típico do que um tour pelas cervejarias de Munique (Alemanha). Nesse passeio, oferecido pela Munich Walk e com guias que falam inglês, o turista acompanha a produção da bebida e até degusta três marcas locais. O ponto final é a centenária Hofbräuhaus. A empresa ainda oferece um passeio pelo centro de Munique e até um polêmico Hitler’s Munich.

Serviço:

Os passeios partem da entrada da prefeitura, na Marienplatz. O giro pelas cervejarias custa 18 euros e ocorre a partir das 17h30, às segundas, quartas e sexta e sábados. Os demais têm preços e horários específicos.

Mais informações: www.munichwalktours.de.

Lisboa

A Cidade Velha. O lado cosmopolita: do Chiado ao Bairro Alto. A Lisboa dos descobrimentos – Um giro pelo bairro de Belém. Esses são alguns dos passeios a pé oferecidos pela Lisbon Walker a quem visita a capital portuguesa. Com guias em português e inglês, todos os domingos e no primeiro sábado do mês, a partir das 14h30.

Serviço:

Passeios com guias em português custa 10 euros por pessoa (compra conjunta de dois passeios diferentes tem um desconto de 5 euros).

Mais informações: http://www.lisbonwalker.com/.

Amsterdam

A Central Station é o ponto de partida para um giro pelas principais atrações turísticas da região central da capital holandesa. O visitante poderá apreciar o Palácio Real, o Bairro da Luz Vermelha e os canais que cortam a cidade. O passeio, que dura 1h30, é feito com guias que falam inglês.

Serviço:

Os tours partem do escritório de turismo da cidade, na praça em frente à Central Station. Custam 150 euros para grupos de até 15 pessoas (o valor é rateado entre os participantes).

Mais informações: http://www.letsgo-amsterdam.com/UK/indexUK.htm.

Paris

Um giro pelas ruas, cafés e livrarias (inclusive, a famosa Shakespeare and Company), em pleno Quartier Latin, leva o turista ao universo descrito por Ernest Hemingway, em clássicos como Paris é uma festa e O Sol também se levanta. Promovido pela agência Paris Walk, o tour ocorre toda sexta-feira, a partir das 10h30. O ponto de encontro é a entrada do metrô Cardinal Lemoine. Também há outros circuitos de passeios, que percorrem as regiões do Marais, Montmartre e St Germain-des-Prés. Os guias falam inglês.

Serviço:

Todos os tours custam 12 euros por pessoa. Os passeios por Marais, Montmartre e St Germain-des-Prés ocorrem diariamente, com saídas às 10h30 e as 14h30, a partir de estações de metrô específicas.

Mais informações: http://www.paris-walks.com/index.html.

Praga

O Castelo Real, a Ponte Carlos, o Relógio Astronômico e o Bairro Judeu são algumas das atrações visitadas durante o tour a pé oferecido pela Prague Walks. Com duração de 3h30, tem dois horários de início: 11 e 14 horas. A agência ainda oferece passeios noturnos, como o que percorre as principais cervejarias da Cidade Velha, que começa às 19 horas e dura 3 horas.

Serviço:

Todos os tours são em inglês e têm ponto de encontro próximo ao Relógio astronômico, na Praça da Cidade Velha. O tour centro histórico custa 440 coroas tchecas (18,50 euros). Já o passeio pelas cervejarias sai por 490 coroas (20,15 euros).

Mais informações:http://praguewalks.com/en/Prague-Walks.

Aix-en-Provence

Quer conhecer os cenários que inspiraram Paul Cézanne? O escritório de turismo de Aix-en-Provence, cidade da região da Provença (no Sudoeste da França), criou um tour de duas horas que inclui os campos retratados pelo artista, assim como o atelier e jardins de Cézanne. Os passeios – em inglês ou francês – são feitos de abril a outubro e é preciso fazer reserva prévia.

Serviço:

O tour Nos passos de Cézanne acontece às terças-feiras, a partir das 10h30. Saída do posto de informação turística, no centro de Aix-en-Provence. Mais informações:www.aixenprovencetourism.com.

Roma

No passeio a pé, organizado pela Travel About, o turista percorre – durante 3 horas – as principais atrações da Cidade Eterna, como o Coliseu, o Fórum Romano (com visita ao interior), a Colina Capitolina, a Fontana de Trevi e o Pantheon. Com guias em inglês ou italiano, tem partida da Piazza Navona, em frente a Fontana dei Quattro Fiumi (na praça onde está a embaixada do Brasil).

Serviço:

O tour pelo centro histórico de Roma custa 22 euros por pessoa. A agência também oferece tours pelo Vaticano (25 euros) e um noturno (22 euros). Mais informações:http://www.enjoyrome.com/index.html.

Nova York

Nos tours oferecidos pela agência Big Onion, o visitante pode desvendar os principais bairros da Big Apple, como Chelsea, Upper East Side, Harlem, Village e Financial District. A empresa ainda oferece tours temáticos, como o The Original Multi-Ethic Eating Tour, que percorre lojas, mercados e delis de regiões como Little Italy, Chinatown e estabelecimentos judaicos do East Side.

Serviço:

Todos os passeios custam US$ 15 por pessoa. Apenas o tour gastronômico exige reserva prévia. Os pontos de encontro variam conforme a região escolhida.

Mais informações:http://www.bigonion.com/.

Buenos Aires

Durante três horas, guias mostram as principais atrações da capital portenha. O roteiro começa na Avenida 9 de Julio, passa pelo Teatro Colón, percorre a Avenida de Mayo (cheia de edifícios clássicos e cafés tradicionais), segue pela Plaza de Mayo (onde está a Casa Rosada) e termina em Puerto Madero. Os passeios – organizados pela agência BsAs4u – ocorrem de segunda a domingo, às 9 e 14 horas, e o ponto de partida é confirmado por email, depois da reserva.

Serviço:

Os passeios, com guias em espanhol, custam US$ 27 por pessoa.

Mais informações:http://www.bsas4u.com/index.php?osCsid=5010b9002ba3bf44303528a633bae323.

FONTE: http://www.gazetadopovo.com.br/turismo/conteudo.phtml?tl=1&id=1088536&tit=Cenarios-para-serem-desvendados-em-tours-a-pe

 

 

18/01/2011

DICAS SIDNEY: Primeiros Socorros: Conhecimentos que valem uma Vida

Posted in Sidney Câmbio e Turismo tagged , , , , , , at 17:22 por sidneycambio

Primeiros Socorros: conhecimentos que valem uma vida

Mais que obrigação, prestar socorro às pessoas é uma questão de cidadania, afirma Milton Steinman, cirurgião da Unidade de Pronto Atendimento e do Corpo Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). “Todo cidadão tem que socorrer, mesmo porque os incidentes podem acontecer com qualquer um de nós.”

Acidentes automobilísticos

Primeiros socorros: conhecimentos que valem uma vidaEm casos de acidentes envolvendo veículos, que variam de acidentes de trânsito com vítima a queda de motos são três os passos importantes para ajudar nesses casos:

  • Garantir a segurança do lugar: é muito comum parar para prestar socorro à vítima e sofrer um outro acidente ou prejudicar o ferido. Portanto, deve-se sinalizar o local. E, se você estiver dirigindo, parar seu veículo distante do acidentado.
  • Colher todas as informações do local: quantidade de vítimas e se estão conscientes; o tipo de acidente; se há alguém preso nas ferragens; se as vítimas estiverem acordadas: perguntar o nome delas, o que ocorreu e se sentem dor; tentar tranquilizá-las; pedir que não se movimentem. “Caso haja lesão na coluna, se a pessoa se mexer ou se houver movimentação inadequada, pode haver sequelas para o resto da vida”, alerta o dr. Steinman.
  • Pedir socorro: telefonar para o atendimento médico, no 192, e passar todos os detalhes colhidos ao atendente. A partir das informações transmitidas, será definido se o serviço a ser enviado é de suporte básico ou avançado (quando envolve o uso da Unidade de Tratamento Intensivo). O Corpo de Bombeiros deverá ser avisado caso houver necessidade de retirar vítimas das ferragens.

Existem situações nas quais não se deve, em hipótese alguma, movimentar a vítima. São elas:

  • inconsciência;
  • traumatismo craniano;
  • pacientes com dor no pescoço, ou que não conseguem movimentar braços ou pernas;
  • grandes acidentes.

Se a vítima estiver consciente, não alcoolizada e não sentir dores é possível ajudá-la a sair do veículo e colocá-la em lugar seguro. Mas só se houver a certeza dessas informações.

Não se deve tentar entrar no automóvel ao desconfiar que existe algum risco de combustão e explosão. Para acidentes de moto ou atropelamentos é preciso pedir que a vítima fique com a barriga para cima, se possível. Se a pessoa estiver de bruços, não é recomendável tentar virá-la. Esses cuidados têm o objetivo de evitar danos na coluna cervical.

Mesmo que você seja treinado e saiba técnicas de primeiros socorros, nem sempre é seguro tentar auxiliar a vítima porque muitas vezes o uso dos materiais como colar de imobilização para realizar os procedimentos é imprescindível.

De acordo com o cirurgião, seguir os três passos acima significa que grande parte do socorro já foi realizada.

Nas situações em que for perigoso e você parar para ajudar, verifique da melhor forma possível o que aconteceu, mesmo que de longe. Telefone para o 192 para explicar onde ocorreu o acidente e em que condições está o veículo acidentado. É importante se identificar.

Afogamento

Segundo a pediatra Adriana Vada Souza Ferreira, do Pronto Atendimento do HIAE, mais importante do que saber lidar com um caso desses é aprender a prevenir.

Na praia

Como evitar acidentes:

  • adultos devem supervisionar constantemente as crianças
  • não usar as divertidas boias infláveis, que podem furar
  • adultos não devem ingerir drogas ou álcool antes de entrar no mar

Como agir:

  • as condições precisam ser completamente seguras para que o socorrista entre na água. A correnteza atrapalha. É mais indicado chamar alguém treinado para fazer o resgate
  • ao retirar a vítima do mar, é necessário deitá-la no chão de barriga para cima, proteger o pescoço e a coluna cervical e deixá-la imobilizada
  • se houver algum objeto na boca da vítima que possa causar engasgo é preciso retirá-lo
  • se não estiver respirando, é preciso fazer respiração boca-a-boca (esta técnica exige treinamento prévio)
  • é importante aquecer a vítima para evitar hipotermia
  • chamar por socorro

Na piscina

Como evitar acidentes:

  • crianças devem ser supervisionadas em tempo integral e adultos ou adolescentes devem ser treinados para prestar socorro
  • nunca deixar brinquedos na beira da piscina
  • em casa: a piscina deve ser totalmente cercada e ter o portão trancado

Como agir:

  • a ação na piscina é um pouco mais fácil pois não há correnteza
  • após retirar a vítima da água, seguir as mesmas orientações de afogamento no mar
  • iniciar o socorro e chamar a ambulância

No banho

Como evitar acidentes:

  • afogamentos também podem acontecer com os bebês durante o banho em banheiras. O ideal é supervisionar a atividade em tempo integral

Para constatar a gravidade de uma situação, dois pontos devem ser avaliados:

  • se a vítima está consciente ou não
  • se consegue respirar espontaneamente

Quando a pessoa estiver inconsciente e não respirar isso é o suficiente para saber que sua circulação também está prejudicada. De acordo com o dr. Luciano Monte Alegre Forlenza, cardiologista da Unidade de Primeiro Atendimento doHIAE, é fundamental chamar a ajuda de um serviço de resgate imediatamente. E, se quem estiver prestando os primeiros socorros souber como, deve iniciar as manobras básicas de ressuscitação cardiopulmonar, até que chegue o resgate.

Nas situações de emergência descritas acima, o paciente tem alta probabilidade de desenvolver dano agudo grave em um de seus órgãos ou funções vitais, podendo ficar com sequelas ou perder a vida. Isso pode acontecer em pouco tempo. Sendo assim, o socorro imediato (em cerca de minutos) é imprescindível e o tratamento especializado é fundamental.

Na urgência médica, o dano agudo grave ainda não ocorreu. Quando detectada a urgência, o paciente pode ser atendido em poucas horas. Mesmo assim, a situação pode trazer danos permanentes se não for tratada adequadamente.

Infarto agudo do miocárdio (IAM)

É caracterizado pela morte das células de uma parte do músculo do coração – chamado de miocárdio – causado pela interrupção do fluxo de sangue por uma das artérias coronárias. Isso normalmente causa dor no peito. As pessoas podem acreditar que é apenas uma dor banal e não procuram ajuda médica. Mas o IAM necessita de tratamento especializado e de emergência para se tentar salvar as células que ainda não morreram e preservar a função do miocárdio.

Sintomas:

  • Dor ou desconforto no peito, que pode chegar às costas, mandíbula, braço esquerdo e, às vezes, braço direito. Costuma ser intensa e prolongada e vem acompanhada de uma sensação de peso ou aperto no tórax.
  • Falta de ar, principalmente nos idosos.
  • Excesso de suor, palidez e alteração nos batimentos cardíacos.

No caso dos diabéticos e idosos, o infarto pode não apresentar sintomas específicos. É necessário ficar atento ao mal-estar repentino.

Como agir:

  • Caso o paciente não apresente alterações de consciência, de respiração e de circulação, a primeira ação é providenciar uma remoção rápida ao pronto socorro mais próximo.

De acordo com o dr. Forlenza, o objetivo da remoção é disponibilizar o tratamento adequado. “Quanto mais precocemente se consegue a desobstrução da coronária, menos dano se estabelece nas células do músculo do coração dentro das primeiras 12 horas do infarto.”

Dor torácica

Pode ser causada por problemas simples ou preocupantes. Por exemplo, o infarto do miocárdio atinge entre 5% e 15% dos pacientes com dor no peito que procuram serviços de emergência.

As causas mais comuns são doenças pulmonares como pneumonia, dores ósseas e musculares (por exemplo, a ocasionada por falta de aquecimento ao praticar esportes) e doenças do aparelho digestivo como úlcera ou gastrite.

Sintomas:

  • Dor, pressão ou desconforto no peito que pode se espalhar para as costas, ombros, braços e pescoço. Mesmo que o incômodo pare, procurar o médico é aconselhável.
  • Tontura, falta de ar, suor em excesso, aumento da frequência cardíaca, náuseas e vômitos.
  • Mal-estar inesperado mesmo sem dor ou desconforto

“Pessoas com esses sintomas devem procurar um serviço de Pronto Atendimento para avaliar se há causas relacionadas a problemas do coração”, orienta o dr. Forlenza.

Alerta ainda para os fatores de risco: diabetes, hipertensão, elevação de colesterol, tabagismo e histórico familiar de doença coronária precoce (com menos que 60 anos).

Publicada em janeiro/2007

Atualizada em novembro/2009

FONTE: http://www.einstein.br/espaco-saude/proteja-se/Paginas/primeiros-socorros-conhecimentos-que-valem-uma-vida.aspx

DICAS SIDNEY: PROTEJA-SE MEDICINA DO VIAJANTE

Posted in CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , at 16:54 por sidneycambio

Medicina do viajante

O planejamento de uma viagem – seja de férias, negócios ou estudos – deve sempre ir além do passaporte, passagens aéreas, guias de idiomas e outros itens do gênero. É preciso pensar na saúde do viajante.

Medicina do viajante

“Há detalhes que, apesar de simples, podem valer uma vida”, adverte o dr. Gustavo Henrique Johanson – infectologista especializado em Medicina do Viajante – e médico do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).

Cuidados ao viajar

Antes

Ao planejar o roteiro deve-se verificar:

  • o clima do local de destino
  • se há focos de doenças contagiosas
  • qual é a culinária típica (para prevenir alergias alimentares, por exemplo)
  • quais as condições de saneamento
  • quais os principais costumes locais

“A melhor maneira de o viajante prevenir-se contra doenças é com vacinas”, ensina o dr. Johanson. Manter a saúde em dia com checkups anuais é outra boa dica, principalmente para executivos que podem ser enviados a diversas partes do mundo sem muito tempo de aviso prévio. “É sempre bom ter um médico de confiança que possa alertar sobre os cuidados a serem tomados em determinadas regiões”, aconselha o infectologista.

Durante

É fundamental cuidar da dieta: não comer alimentos de procedência duvidosa, sempre beber água mineral e evitar qualquer excesso. “Os exageros devem ser evitados não só para preservar a saúde, mas também a integridade física e os costumes locais”, afirma o médico.

Os viajantes devem evitar ainda:

  • contato com mosquitos em regiões tropicais
  • contato com animais sem dono, como cachorros
  • ingerir comidas vendidas nas ruas
  • excesso de bebidas alcoólicas
  • entrar em mar ou lagos que tenham sinalização de perigo

Depois

Dependendo do lugar escolhido para a viagem é preciso estar alerta a sintomas como febre, após o retorno. “Se o destino foi um local em que a malária é comum, qualquer episódio de febre até um ano depois do regresso merece atenção especial”, alerta o infectologista.

Países com epidemias

Epidemias e surtos de algumas doenças preocupam infectologistas e turistas. Por exemplo: na Copa do Mundo de Futebol, na Alemanha (2006), ocorreu um surto de sarampo no país-sede. Os turistas que não tinham certeza de serem vacinados contra o sarampo foram aconselhados a tomar a vacina antes de embarcar.

Outra epidemia que virou manchete por diversas semanas foi a de gripe aviária na Ásia. Desde o surgimento da doença – em 2003 – já foram 258 casos de infecção e 154 vítimas fatais. A recomendação médica para esse caso era evitar os locais com criação de ave, além de tomar a vacina de gripe, apesar de se saber que não é muito eficaz para esse problema específico.

“Nos casos de surtos e epidemias, se a pessoa tiver a possibilidade de adiar a viagem ou trocar de destino é o mais recomendado”, explica o infectologista. Se não houver essa possibilidade, o jeito é se prevenir.

Conheça os principais focos de doenças contagiosas no mundo e saiba como se prevenir:

Malária

Doença transmitida por mosquitos, pode ser fatal. É um dos maiores problemas de saúde pública mundial, responsável por 300 a 500 milhões de infecções no mundo a cada ano.

Regiões que apresentam riscos

  • África: exceto Líbia e Tunísia
  • América Central, inclusive Haiti e República Dominicana
  • América do Sul: exceto Uruguai e Chile
  • Ásia: exceto Mongólia e Cazaquistão
  • Europa Oriental
  • Pacífico Sul

Como prevenir

Não há vacina disponível. A saída é evitar o contato com mosquitos e utilizar repelentes, além de medicamentos preventivos, em alguns casos.

Febre Amarela

Doença transmitida por mosquitos, que pode evoluir para febre hemorrágica e hepatite grave. É encontrada somente em regiões de mata selvagem. No Brasil não há casos urbanos há mais de 50 anos.

Regiões que apresentam riscos

  • América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Paraguai, Peru, Suriname e Venezuela.
  • América Central: Panamá, Trinidad e Tobago
  • África: países da região do Sub-Saara

Como prevenir

  • Tomar a vacina 10 dias antes de viajar*
  • Evitar o contato com mosquitos

* Há países que exigem o certificado de vacinação para autorizar a entrada dos turistas.

Meningite

Doença causada por vírus, bactérias, fungos e protozoários que atacam o sistema nervoso central. As mais temidas são as bacterianas, em especial a meningocócica. Pode ser fatal se não detectada e tratada a tempo.

Regiões que apresentam riscos

  • África: região do sub-Saara e alguns países como Angola, Congo e Somália que apresentaram focos de epidemia recentemente.

Como prevenir

  • Tomar a vacina meningocócica.

Febre Tifoide

Doença transmitida por uma bactéria proveniente de alimentação ou água contaminada. Está diretamente associada a regiões em que não há saneamento básico. São estimados cerca de 22 milhões de casos no mundo anualmente.

Regiões que apresentam epidemias

  • Subcontinente Indiano
  • Ásia
  • África
  • Caribe
  • América Central
  • América do Sul

Como prevenir

  • Evitar alimentos crus e água de procedência duvidosa
  • Existe uma vacina, indicada em casos específicos.

Hepatite A

Adquirida pelo contato com água e alimentos contaminados.

Regiões que apresentam grandes chances de contágio

  • América Central
  • América do Sul
  • Ásia
  • Europa

Como prevenir

  • Tomar a vacina específica para esse tipo de hepatite
  • Consumir água mineral de boa procedência
  • Evitar alimentos crus e de procedência duvidosa

Hepatite B

Doença transmissível pelo contato com sangue e secreções humanas infectadas. A principal forma de transmissão é a via sexual. A infecção, em alguns casos, pode evoluir para hepatite crônica, que pode causar cirrose e câncer no fígado.

Regiões que apresentam grandes chances de contágio

O risco de viajantes contraírem hepatite B, em geral, é baixo, exceto nos casos em que há contato sexual ou com sangue de pessoas infectadas. “O alerta vai principalmente para jovens e solteiros, para que nunca mantenham relações sexuais sem preservativo”, adverte o infectologista.

Como prevenir

  • Tomar a vacina
  • Praticar sexo seguro

Gripe Aviária

Doença transmitida por vírus que infecta as aves. É altamente letal e de rápida proliferação no contato entre aves doentes e humanos. Tornou-se uma epidemia na Ásia em 2003. “Vale lembrar que não há motivo para pânico porque a infecção não ocorre entre humanos, apenas nos que tiveram contato com aves”, explica o médico.

Regiões que apresentam epidemias

  • Sudeste Asiático
  • China

Regiões que apresentaram casos da doença

  • África
  • Leste Europeu

Como prevenir

  • Evitar o contato com aves
  • Não comer aves ou derivados de procedência duvidosa
  • Tomar vacina contra gripe (que não apresenta proteção 100% eficaz nesse caso)

Publicada em dezembro/2006

Atualizada em novembro/2009

FONTE: http://www.einstein.br/espaco-saude/proteja-se/Paginas/medicina-do-viajante.aspx

13/01/2011

Allure Of the Seas ► Parque temático flutuante

Posted in CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , at 17:20 por sidneycambio

No Allure of the Seas, o maior navio do mundo, dá para passar vários dias sem ver terra firme

Seu nome: Allure of the Seas, o maior navio de passageiros do mundo e que começou a singrar os mares no fim do ano passado – ele divide o título com o irmão gêmeo Oasis of the Seas.

Com 20 andares, 16 deques de circulação, 225,2 mil toneladas e capacidade para 5,4 mil passageiros, o novíssimo mega navio da Royal Caribbean é muito mais do que uma interminável lista de números.

Na verdade, ele deve ser encarado como um parque temático flutuante, onde é possível se divertir, durante sete dias (o período dos roteiros pelo Ca­­ribe), literalmente sem por os pés em terra firme.

Mas antes de descobrir todos os atrativos do Allure, era hora de me acomodar. Logo após fazer o rápido e descomplicado check-in, ainda no terminal de embarque, lá fui eu em busca da minha acomodação (ao todo são 2.706 cabines).

De posse do cartão magnético, que serviria como chave e para pagar despesas ex­­tras, atravessei a passarela que dá acesso ao navio e segui para a minha cabine, a 325 (deque 9).

Lá, boas surpresas: além da cama de casal e uma ampla varanda, muitos itens de conforto, como tevê de LCD, teclado para acesso a internet (pago), mesinha de trabalho e um sofá – tudo sem aper­­to (inclusive, o bem equipado banheiro).

As cabines comuns (com ou sem sacada) têm entre 14 e 17 metros quadrados. Quem quiser mais espaço pode optar por configurações bem maiores, inclusive as exclusivas suítes de dois andares.

A Royal Loft Suíte, por exemplo, tem 141 metros qua­­drados e conta com piano, sala de jantar e jacuzzi privativa.

Da popa à proa

Devidamente instalado, era hora de iniciar minha incursão pelos meandros do Allure. Como mi­­nha cabine ficava na popa, não resisti em, inicialmente, percorrer todos os 360 metros de comprimento do gigantesco transatlântico que me levariam à proa.

Foram exatos 15 minutos até chegar à outra ponta. Depois, comecei a explorar os deques de cima para baixo e aí, sim, entender porque o navio é realmente um parque temático.

Lá no alto, mais precisamente no deque 15, estão reunidas al­­gumas das principais atrações da embarcação.

Percorrendo todo aquele nível, a partir de popa, é possível relaxar no Solarium, uma espécie de lounge com es­­preguiçadeiras e quatro hidros (duas delas suspensas, com vista para o mar); curtir as quatro piscinas (adulto e infantil, também com um mar de espreguiçadeiras); e se divertir, já na popa, na quadra esportiva, no campo de minigolfe, na tirolesa e no Flowri­­der, um divertido simulador de surfe, em que a pessoa tenta equilibrar-se em cima de uma pranchinha.

Alguns deques abaixo, outro espaço feito para encantar os passageiros, o AquaTheatre, localizado numa área na popa denominada Boardwalk. Com uma piscina de 9 metros de profundidade, o anfiteatro recebe espetáculos aquáticos (Let You Entertain Me e OceanAria), que misturam acrobacias e saltos mortais.

É também nesta parte do navio que estão as duas paredes de escalada, que contam com monitores para auxiliar crianças e adultos; e um belo carrossel.

Descendo mais um pouco, mais precisamente ao deque 5, era hora de conhecer o Amber Theater, o principal teatro do navio. Com capacidade para 2.160 hóspedes, o espaço tem em cartaz dois espetáculos, o musical Chicago e o show Blue Planet, que impressionam pela qualidade e disposição do elenco, que é o mesmo para as duas produções.

O navio conta ain­­da com outros programas para curtir a noite, como apresentações de comédia stand-up, shows de patinação no gelo e uma série de boates com festas temáticas e boa música.

Também não faltam lojas, bares e cafés (inclusive, o primeiro Starbucks em alto-mar), muitos reunidos no Royal Promenade, uma “rua” que acaba servindo como coração do navio (todo mundo passa por lá) e onde são realizadas as paradas diárias com personagens do estúdio DreamWorks, como Shrek, os pinguins de Mada­gascar e o Kung Fu Panda. Entre os bares, o mais inusitado é, sem dú­­vida, o Rising Tide, um bar-elevador (que lembra uma nave espacial), que vai do Royal Promenade até o Central Park, outro impressionante espaço, pois é um verdadeiro parque em alto-mar, com 12 mil plantas (inclusive, árvores) e cheio de restaurantes.

É o local ideal para relaxar, to­­mar um café e ler um livro. Nessa mesma área também está a primeira loja do artista plástico Romero Britto em um navio.

All-inclusive

Assim como no quesito diversão, monotonia passa longe do Allure quando o assunto é opções gastronômicas, que vão de cachorro- quen­­te a sofisticados pratos internacionais. Café da manhã, almoço e lanchinhos estão incluídos em diversos restaurantes, cafés e quiosques.

E os cardápios são muito fartos. Já o jantar está incluso no restaurante principal (o Adagio), no bufê Windjam­mer Marketplace (ideal para refeições a qualquer hora do dia) e na Sorrento’s Pizze­ria.

Em outros restaurantes, é preciso reservar e pagar à parte para jantar. Mas os preços não são salgados. O menu degustação do classudo 150 Central Park custa US$ 35 por pessoa. No Samba Grill, com pretensões a ser uma churrascaria brasileira, o jantar sai por US$ 25 por passageiro; e, na tratoria Gio­vanni’s Table, US$ 15 por pessoa.

Já na disputada lanchonete John­ny Rocktes, paga-se US$ 3,50 para saborear à vontade generosas porções de anéis de cebola crocantes e muitos milk-shakes. Vale lembrar que bebidas alcoólicas são cobradas à parte em todo o navio.

Talvez o leitor se pergunte por que esse jornalista ainda não co­­meçou a descrever como é o roteiro do Allure of the Seas pelo Ca­­ribe. Infelizmente, não será nessa reportagem.

Nossa viagem foi, na realidade, uma pré-estreia do navio. Foram exatos quatro dias a bordo, circulando pela costa de Miami, tendo apenas o mar como coadjuvante. Taí um bom pretexto – seja para este jornalista ou para o leitor – planejar uma próxima viagem no gigante dos mares.

Serviço:

Allure of the Seas. Tem roteiros de sete noites pelo Caribe. Desde R$ 1.749 por pessoa em cabine interna dupla (embarque em fevereiro). A Royal Loft Suite custa R$ 19.020 por pessoa. Mais informações e reservas: através das agências de viagem ou no site www.royalcaribbean.com.br.

Youth Zone

São áreas do navio dedicadas à criançada, com atividades esportivas e ginástica ao ar livre.

Há programas específicos para diferentes faixas etárias. Um dos setores é o Adventure Ocean, onde os pequenos brincam de teatro e fazem experiências em um laboratório de ciências no mar. Os adolescentes também têm sua própria boate e há ainda um serviço de berçário.

Vitality at Sea Spa

Tem decoração bacana e até um café. É possível fazer massagens, tratamentos de pele, acupuntura ou apenas relaxar numa das espreguiçadeiras aquecidas.

Academia

Imensa, divide o mesmo espaço com o spa. Oferece esteiras high-tech (com conexão para iPod), bicicletas e equipamentos de musculação da marca Life Fitness.

Casino Royale

Localizado no deque 4, é um cenário digno de James Bond. No espaço, é possível se divertir nas máquinas de caça-níqueis, roletas e em mesas de pôquer.

O jornalista viajou a convite da Royal Caribbean.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/turismo/conteudo.phtml?tl=1&id=1086059&tit=Parque-tematico-flutuante

Publicado em 13/01/2011 | ROBERTO COUTO


Dicas Sidney: Cruzeiros Allure of the Seas ► O Gigante dos Mares

Posted in CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , at 16:35 por sidneycambio

Em 1º. de dezembro de 2010, o Allure of the SeasSM será o primeiro a dar as boas-vindas à Aventura DreamWorks a bordo, juntando-se à nossa já extraordinária coleção de experiências para toda a família.

O Allure of the Seas será o único navio da nossa frota a apresentar o show de patinação no gelo Como treinar o seu dragãoTM e o show aquático MadagascarTM.

O Allure of the Seas começará a navegar repleto de inovações que tornarão os cruzeiros de férias da Royal Caribbean ainda mais inesquecíveis.

Além de dividir o título de maior e mais revolucionário navio de cruzeiros do mundo com seu navio-irmão Oasis of the SeasSM, o Allure of the Seas oferecerá recursos distintivos de sua personalidade que incluem novos e incríveis entretenimentos, restaurantes e lojas!

Marque esta página para obter todos os anúncios enquanto continuamos a exibir os novos recursos a bordo do Allure of the Seas.

DEFININDO UM NOVO PADRÃO EM ENTRETENIMENTO!

Musical da Broadway premiado com o Tony Award a bordo do Allure of the Seas


Chicago: O musical se tornará o segundo espetáculo premiado com o Tony Award que lançamos em alto-mar e está entre os principais entretenimentos premiados criados pela própria equipe da Royal Caribbean Productions.

Os fãs de Chicago verão que a versão de 90 minutos do Allure of the Seas da famosa produção inclui o mesmo elenco de personagens infames e um número musical atrás do outro, entremeando tudo em um conto universal sobre a fama, o sucesso e muito jazz.


Blue Planet

Essa obra-prima teatral da acrobacia aérea deixará o público eletrizado com suas ousadas façanhas e cenários dramáticos que contam a história da preservação de nossos oceanos.

Uma viagem dos picos das montanhas às profundezas do oceano, com uma vigorosa e belíssima trilha sonora e números de dança e acrobacia aérea emocionantes.

Esta apresentação o deixará deslumbrado enquanto os artistas narram uma história espetacular e visual sobre o nosso planeta azul.

 

OceanAria

O maravilhoso AquaTheater no Boardwalk do Allure of the Seas agora oferece outra obra-de-arte deslumbrante, inspiradora e ágil. Veja a descoberta de uma antiga civilização submarina que navega graciosamente pelas águas, voa bem acima do nível do mar e mergulha em suas profundezas.

Esse espetáculo do AquaTheater inclui fontes e música orquestral que se misturam ao som do oceano.

Cinema 3D

Agora você pode aproveitar os melhores filmes em 3D a bordo do Allure of the Seas no conforto da nossa sala de cinema principal. Nosso cinema de última geração proporcionará uma experiência tão aprimorada que você terá a impressão de participar da ação!

O que há de novo nos restaurantes?

Rita’s Cantina no Boardwalk

Prepare-se para a diversão em família e embarque na fiesta, com pratos mexicanos de dar água na boca, incluindo as famosas fajitas da Rita, tortilhas crocantes, guacamole e salsa feitas no mais autêntico estilo, e Margaritas de prepare caseiro.

Boardwalk Dog House

Agora você pode esperar por um cachorro-quente feito do seu jeito com todos os acompanhamentos.

Como você gosta, mas a milhas oceânicas de distância do cachorro-quente da esquina.

Compre até cansar:

O Allure of the Seas oferece muitas oportunidades para terapia de consumo, incluindo algumas novidades notáveis.

GUESS®
Venha para o mundo sensual e fascinante da GUESS Accessories!

A loja da GUESS Accessories oferece os acessórios mais modernos, exclusivos e completos da GUESS.

Você encontrará bolsas, carteiras, relógios, sapatos, joias, óculos e perfumes modernos, ousados e funcionais na loja.

Deleite-se no ambiente acolhedor e misture e combine em uma divertida experiência de compras na loja da GUESS Accessories.

O destino para compras de acessórios mais completo e moderno para homens e mulheres que ninguém deve perder.

Comodidades de cortesia

Você também desfrutará de novas comodidades de cortesia a bordo, como quiosques para serviço de atendimento ao hóspede no Royal Promenade, onde você poderá visualizar, imprimir ou enviar por e-mail seu exemplar do SeaPass, seu calendário pessoal ou fazer check-in e imprimir os cartões de embarque do seu voo.

Cada cabine a bordo do Allure of the Seas também será equipada com uma base para Apple iPod para aqueles que desejarem de criar seu próprio ambiente.

Reserve suas férias no Allure of the Seas hoje mesmo na Sidney

Para a maior comodidade de nossos clientes dispomos de atendimento nos seguintes endereços em Curitiba:

LOJA CENTRO – Fone: 3015 0300

LOJA CURITIBA – Fone : 3015 9500

LOJA MUELLER –   Fone : 3015 9500 LOJA ECOVILLE – Park Shopping Barigui , Loja 2042 – A – Fone: 3352-9000

 

Dicas Sidney: Dicionário básico para Viagens ITALIANO

Posted in CÂMBIO, DICAS, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , at 15:50 por sidneycambio

Dicionário básico

ITALIANO

Obrigado, Por Favor, Desculpe

Obrigado (a)
Grazie
gra-tzi-e

Não, obrigado (a)
No, grazie
no, gra-tzi-e

Sim, por favor
Sì, grazie
si gra-tzi-e

Por favor (oferecendo) (pedindo algo)
Prego Per favore/per piacere
pre-go per fa-vo-re/per pi-a- tche-re

Desculpe-me! (ao espirrar/bocejar etc.)
Scusami!
sku-za-mi

Desculpe! (informal)
Scusi! Scusa!
sku-zi sku-za

Sinto muito!
Mi dispiace
mi dis-pi-a-tche

Foi/Não foi culpa minha!
È/Non è stata colpa mia!
é/non é s-ta-ta kol-pa mi-a

Onde, Como, Pedidos Simples

Com licença (para que alguém dê passagem)
Permesso
per-mes-so

Pode me dizer …?
Potrebbe dirmi …?
po-tre-be dir-mi

Pode me dar …?
Potrebbe darmi …?
po-tre-be dar-mi

Deseja um/uma …?
Vorrebbe un/una …?
vor-re-be un/u-na

Gostaria de …?
Le piacerebbe …?
le pi-a-tche-re-be

Há … aqui?
C’è …?
Tché

O que é isso?
Che cos’è?
ke ko-zé

Onde posso conseguir …?
Dove potrei trovare …?
do-ve po-trei tro-va-re

Quanto custa?
Quanto costa?
kuan-to ko-sta

Onde está o/a …?
Dov’è il/la/lo …?
do-ve il/la/lo

Por favor, onde ficam os sanitários?
Per cortesia, dove sono i servizi?
per kor-te-dzi-a do-ve so-no i ser-vi-tzi

Ajuda, Problemas

Poderia me ajudar?
Potrebbe aiutarmi?
po-tre-be a-iu-tar-mi

Não compreendo
Non capisco
non ka-pis-ko

O (A) senhor (a) fala português/inglês/francês/alemão?
Parla portoghese/inglese/francese/tedesco?
par-la por-to-gue-se/in-gle-ze/fran-tche-ze/te-des-ko

Alguém aqui fala português?
C’è qualcuno che parla portoghese?
tché kual-ku-no ke par-la por-to-gue-se

Não falo italiano
Non parlo italiano
non par-lo i-ta-li-a-no

Não sei
Non lo so
non lo só

Qual é o problema?
Cosa c’è che non va?
ko-za tché ke non vá

Por favor, fale mais devagar
Per favore, parli più lentamente
per fa-vo-re par-li piu len-ta-men-te

Por favor, escreva isso para mim
Me lo scriva, per favore
me lo skri-va per fa-vo-re

Eu me perdi (dito por um homem/uma mulher)
Mi sono perso/persa
mi so-no per-so/per-sa

Vá embora! (informal)
Se ne vada! Vattene!
se ne va-da va-te-ne

Conversas com Recepcionistas

Tenho uma reunião com …
Ho un appuntamento con …
ó un a-pun-ta-men-to kon

Gostaria de ver …
Vorrei vedere …
vor-rei ve-de-re

Aqui está meu cartão
Questo è il mio biglietto da visita
kues-to é il mi-o bi-lhe-to da vi-zi-ta

Sou da empresa …
La mia società è …
la mi-a so-tche-ta é

Posso usar seu telefone?
Posso usare il telefono?
pos-so u-za-re il te-le-fo-no

 

Dicas Sidney: Dicionário básico para Viagens JAPONÊS

Posted in CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , at 14:20 por sidneycambio

Dicionário básico

JAPONÊS

Sim/não
Rai/lie

Obrigado
Doomo arigatoo

Não, obrigado
Queccoo des arigatoo

Por favor
(ao pedir)
Onegai chimasu
Chitê kudasai (mais formal)

(ao oferecer)
Doozo

Eu não entendo
Vacarimassen

Você fala inglês?
Eigo o ranachimas ka?

Eu não falo japonês
Nirrongo ua ranassemassen

Eu não sei
Chirimassen

Por favor, fale mais devagar
Moo sucochi yuccuri ranachite cudassai

Por favor, anote para mim
Caite cudassai?

Meu nome é …
Uatachi no namae ua … des

Como vai, prazer em conhecê-lo/conhecê-la
Radimemachite, doozo yorochiku

Bom dia
Orraioo gozaimas

Boa tarde
Connitiua

Boa noite
Comban’ua

Boa noite
(ao se deitar)
Oyassumi nassai

(ao se despedir)
Ossaqui ni

Adeus, até logo
Sayoonara

Como vai?
Oguenqui des ca?

Com licença, por favor
Chitsurei chimas

Desculpe!
Sumimassen

Sinto muito
Rontoo ni sumimassen

Pode me ajudar?
Tyotto sumimassen

Pode me dizer …?
… o ochiete cudassai?

Pode me dar …?
… itadaquemas ca?

Eu gostaria de …
… o itadaquemas ca?

Há … aqui?
Coco ni … ua arimas ca?

Onde posso conseguir …?
… ua doco ni arimas ca?

Quanto custa?
Icura des ca?

Que horas são?
Ima nandi des ca?

Preciso ir agora
Moo icanaquereba narimassen

Eu me perdi
Miti ni mayotte chimaimachta

Saúde!
Campai!

Você aceita cartão de crédito?
Cureditto caado tsucaemas ca?

Onde é o toalete?
Otearai ua doco des ca?

Vá embora!
Atti e itte!

Excelente!
Sugoi!

Perdi o passaporte/dinheiro/chave do quarto/traveller’s cheques/cartões de crédito
Paspooto/cagui/toraberaazu-tyeccu/cureditto-caado o nacuchimachita

Onde é a embaixada do Brasil?
Buradiru no taichican ua doco des ca?

 

Dicas Sidney: Dicionário básico para Viagens INGLÊS

Posted in CÂMBIO, DICAS, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , at 13:10 por sidneycambio

Dicionário básico

INGLÊS

Obrigado, Por Favor, Desculpe

Obrigado (a)
Thank you
fên-kiu

Não, obrigado (a)
No, thank you
nôu, fên-kiu

Sim, por favor
Yes, please
iés, plíz

Por favor (oferecendo ou pedindo algo)
Please
plíz

Desculpe-me! (ao espirrar/bocejar etc.)
Excuse me!
eks-kíuz-mi

Desculpe!
Sorry!
só-ri

Sinto muito!
I’m really sorry
aim ri-li só-ri

Foi/Não foi culpa minha!
It was/wasn’t my fault!
it uós/uó-zânt mai fólt

Onde, Como, Pedidos Simples

Com licença (para que alguém dê passagem)
Excuse me, please
eks-kíuz-mi, plíz

Pode me dizer …?
Can you tell me …?
kén iu tél mi

Pode me dar …?
Can I have …?
kén ai rrev

Deseja um (a) …?
Would you like a …?
uud iu laik a

Gostaria de …?
Would you like to …?
uud iu laik tu

Há … aqui?
Is there … here?
is dér … rri-êr

O que é isso?
What is that?
uót is dét

Onde posso conseguir …?
Where can I get …?
uér kén ai guét

Quanto custa?
How much is it?
rrau mâtch iz it

Onde está o (a) …?
Where is the …?
uér iz de

Por favor, onde ficam os sanitários?
Where are the toilets, please?
uér ar de tói-léts, plíz

Ajuda, Problemas

Poderia me ajudar?
Can you help me?
kén iu rrelp mi

Não compreendo
I don’t understand
ai don ân-ders-ténd

O (A) senhor (a) fala português/inglês/francês/alemão?
Do you speak Portuguese/English/French/German?
du iu spík pór-tiu-guiz/in-glich/fréntch/djêr-man

Alguém aqui fala português?
Does anyone here speak Portuguese?
dâs eni-uân rri-êr spík pór-tiu-guiz

Não falo inglês
I can’t speak English
ai ként spík in-glich

Não sei
I don’t know
ai don nôu

Qual é o problema?
What’s wrong?
uóts rong

Por favor, fale mais devagar
Please, speak more slowly
plíz, spík mór slôu-li

Por favor, escreva isso para mim
Please write it down for me
plíz rait it daun fór mi

Eu me perdi
I’ve lost my way
aiv lóst mai uei

Vá embora!
Go away!
gou au-êi

Conversas com Recepcionistas

Tenho uma reunião com …
I have an appointment with …
ai rrev ân a-pói-ment uif

Gostaria de ver …
I’d like to see …
aid laik tu si

Aqui está meu cartão
Here’s my card
rri-êr iz mai kârd

Sou da empresa …
My company is …
mai kom-pa-ni is

Posso usar seu telefone?
May I use your phone?
mei ai iuz iór fôu-ne

 

Dicas Sidney: Saiba se seu filho está pronto para viajar sozinho.

Posted in CÂMBIO, DICAS, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , at 12:30 por sidneycambio

Saiba se seu filho está pronto para viajar sozinho

Por: HELOÍSA NORONHA Colaboração para o UOL

Mudar de ares nas férias é saudável para o desenvolvimento de qualquer criança. Quem não se recorda das brincadeiras com os primos na praia, da farra com a turma na fazenda ou de visitar um parque bacana com a família do melhor amigo na infância? No entanto, as agruras da vida moderna nem sempre permitem que os pais – que não conseguiram uns dias de folga – desfrutem de tais momentos na companhia dos filhos. A alternativa é permitir que a criança encare sozinha a temporada de lazer. Mas será que ela está preparada para viver essa experiência pela primeira vez? Para descobrir a resposta, confira os dez fatores que você precisa levar em consideração antes de começar a preparar a mala.

1. CONSIDERE A IDADE CRONOLÓGICA
Segundo a psicopedagoga Teresa Helena Schoen-Ferreira, do Setor de Psicopedagogia do Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), não é aconselhável que crianças na faixa dos 5 ou 6 anos viajem sozinhas. “Crianças muito pequenas não têm a coordenação motora totalmente desenvolvida. Além disso, não possuem uma capacidade ampla para organizar as próprias roupas e objetos, por exemplo, nem para se lembrar de determinadas informações”, diz.

2. AVALIE A MATURIDADE EMOCIONAL
Seu filho se sente independente? Tem facilidade para se comunicar? Quando quer perguntar algo para um estranho, por exemplo, ele mesmo faz a pergunta ou pede para você fazer? É organizado com as próprias coisas? De acordo com a psicóloga Suzy Camacho, de São Paulo, são as questões básicas que devem ser levadas em consideração no momento de avaliar o grau de autonomia da criança. “Por desenvolverem a fala mais rápido, em geral as meninas são mais independentes e apresentam uma maturidade precoce”, comenta Suzy, que é autora do livro “Guia Prático dos Pais” (Ed. Paulinos). Mas é claro que existem muitos meninos novinhos que se viram bem sem a ajuda dos pais.

3. FAÇA EXPERIÊNCIAS ANTES
Segundo a psicóloga Maria Teresa Reginato, de São Paulo, conhecer outros ambientes e hábitos enriquece a vivência com a noção da diversidade da cultura e do comportamento humano. “Melhor que seja a partir do momento em que a criança já se expressa verbalmente com desenvoltura, mas o treino na casa de parentes pode começar mais cedo”, pondera a especialista, que mantém o blog http://www.facaterapia.blogspopt.com. Para Suzy Camacho, o ideal é começar com uma noite fora, na casa de uma tia ou de algum amiguinho. Se a criança não chorar ou pedir pelos pais, é um bom sinal. A partir daí, pode ir aumentando o período gradativamente, até completar uma semana. É o comportamento da criança nessas experiências que vai indicar se ela já está apta – ou ainda requer mais aprendizado – para curtir uma semana no acampamento ou na casa de praia do amiguinho sem seus pais.

4. OBSERVE O COMPORTAMENTO
Seu filho recebeu um convite para passar uma semana na fazenda do melhor amigo da escola? Ótimo! Se você ainda não conhece o tal amiguinho direito, antes de dar o o.k. final convide-o para passar uma o dia em sua casa. Observe se essa criança é respeitosa, se brinca direito com os brinquedos (sem jogá-los ou quebrá-los, por exemplo), se é alegre, se utiliza um mau linguajar (palavrões) etc. “Observe seu filho com atenção também. Ele muda de comportamento perto do amigo? Faz coisas para agradá-lo? É óbvio que ele vai agir um pouco diferente do que você está acostumada a notar em famílias, mas existem crianças que mudam de personalidade para agradar o coleguinha, e essa é uma situação de alerta”, destaca Suzy Camacho. Isso indica vulnerabilidade e, na adolescência, pode levar a atitudes nocivas como uso de cigarro, álcool ou drogas para se sentir parte de uma turma. No caso de adolescentes que vão viajar sozinhos pela primeira vez com a família de um amigo, a psicóloga orienta observar as mesmas coisas.

5. CONHEÇA BEM OS ACOMPANHANTES
No caso de um acampamento de escola, por exemplo, a psicopedagoga Teresa Helena Schoen-Ferreira avisa que já existe um vínculo entre a criança e os professores. Mas em um acampamento “avulso”, porém, é necessário conversar com as pessoas que estarão presentes e tirar todas as dúvidas. Se a criança foi convidada para passar uns dias na casa de praia ou na fazenda do amigo, convide os pais para um café antes a fim de conhecê-los e observá-los. Confie na sua intuição e, se possível, vale a pena ainda verificar as condições do lugar em que a criança vai ficar. “Anote nomes, telefones fixos, celulares e endereços completos. Além de se sentir mais segura, você também vai transmitir essa segurança para o seu filho, que sabe que estará sendo bem cuidado pelos pais, mesmo à distância”, aponta Teresa.

6. DRIBLE A ANSIEDADE DA CRIANÇA
Por mais independente que possa ser a criança, às vezes os filhos nos surpreendem. Esteja preparada para um ataque súbito de saudade – em outras palavras, receber um telefonema com uma vozinha chorosa do outro lado da linha. Em um primeiro momento, não tome nenhuma atitude drástica. Converse com o responsável e peça para tentar distrair seu filho, levando-o para um passeio no shopping ou ao cinema, por exemplo. “Se não surtir efeito, o ideal é mesmo se dispor a ir buscá-lo se a distância permitir. Caso contrário, ele não vai se sentir seguro para enfrentar uma próxima tentativa”, argumenta Suzy. Lembrando que, para uma primeira viagem sem os pais, o aconselhável é que o destino não seja muito longe de casa. Outro ponto a considerar é o de filhos de pais separados que costumam alternar fins de semana na casa de um e de outro. “Se toda vez que a criança está com o pai, por exemplo, precisa ligar para a mãe à noite, ainda não está preparada para viajar sozinha”, alerta Teresa Helena Schoen-Ferreira.

7. DOMINE A SUA ANSIEDADE
Não fique ligando toda hora para saber como a criança está se virando, se está comendo direito, divertindo-se etc. Se ela não telefonou, acredite, é porque está bem. “A falta de notícias é uma boa notícia”, brinca a psicóloga Suzy Camacho. Ligue de manhã e/ou à noite e deixe-a curtir as férias.

8. ORGANIZE SOMENTE O NECESSÁRIO
Calcule a quantidade de roupas que ela vai usar e tente colocar somente o imprescindível na mala. Evite colocar itens muito caros, como relógios ou brinquinhos de ouro. A criança tem que se divertir, e não ficar preocupada em preservar determinadas coisas – ela está de férias, lembra? Quem vai para acampamento não precisa de dinheiro nem de celular. Já as crianças e adolescentes que vão para a praia ou fazenda devem levar o mínimo de dinheiro necessário – o suficiente para comprar lanche ou sorvete, ir ao cinema ou a um passeio específico. Não trate seus filhos como potenciais consumidores mirins.

9. NÃO SE ESQUEÇA DOS DOCUMENTOS
Envie os documentos originais (tire cópias autenticadas antes) e deixe-os com os responsáveis. Deixe com a criança um cartão ou crachá com os dados pessoais (nome, endereço e telefone) dela. Se ela vai até o destino de ônibus ou avião, verifique com antecedência na rodoviária ou aeroporto o tipo de autorização que é preciso levar no dia do embarque.

10. FAÇA ACORDOS ENTRE VOCÊS
Antes da viagem, os pais devem ensinar a criança como buscar informações importantes. “Aconselhe a perguntar sem vergonha ou constrangimento onde é tal lugar, como funciona tal coisa, até que horas se pode brincar etc.”, sugere a psicóloga Maria Teresa Reginato. “Também ensine como observar e ficar alerta quanto aos imprevistos e possíveis perigos.” Se algo der errado, e a criança ou o adolescente quiser voltar antes por algum motivo sério – a família do amigo tem um comportamento estranho, presença de irmãos mais velhos inconvenientes e afins – é importante combinar antes uma palavra ou uma frase do tipo “senha”. “Assim o seu filho pode informar, por telefone, que não está curtindo o passeio sem se sentir constrangido”, comenta Teresa. Você pode combinar de perguntar, por exemplo, se o filho viu algum disco-voador. Se a resposta for sim, você já sabe que as coisas não estão boas e pode ligar, mais tarde, para a família e dizer que houve um imprevisto e que terá de buscá-lo antes.

Dicas Sidney: Dicionário básico para Viagem FRANCÊS

Posted in CÂMBIO, DICAS, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , at 12:23 por sidneycambio

Dicionário básico

FRANCÊS

Obrigado, Por Favor, Desculpe

Obrigado (a)
Merci
mêr-ci

Não, obrigado (a)
Non, merci
nõ mêr-ci

Por favor
S’il vous plaît
sill vu plé

Desculpe!/Perdão!
Pardon!
par-dõ

Mil desculpas!
Je suis vraiment désolé
je su-í vrré-mã de-so-lê

Foi culpa minha/não foi culpa minha
C’était de ma faute/ce n’était pas de ma faute
ce-té de ma fô-te/ce ne-té pa de ma fô-te

Onde, Como, Pedidos Simples

Com licença, por favor
Pardon
par-dõ

Pode me dizer …?
Pouvez-vous me dire …?
pu-vê vu me dir

Pode me dar …?
Est-ce que je pourrais avoir …?
és-ke je pur-ré a-vo-ar

Deseja um/uma …?
Est-ce que vous voulez un/une …?
és-ke vu vu-lê ã/i-ne

Gostaria de …?
Est-ce que vous voulez …?
és-ke vu vu-lê

Há … aqui?
Est-ce qu’il y a … ici?
és-ke ki-li-á … i-ci

O que é isso?
Qu’est-ce que c’est?
kés-ke cé

Quanto custa?
Combien ça coûte?
com-bi-ã ça cu-te

Onde está o/a …?
Où est le/la …?
u é le/la

Ajuda, Problemas

Pode me ajudar?
Pouvez-vous m’aider?
pu-vê-vu mé-dê

Não compreendo
Je ne comprends pas
je ne com-prrã pa

Fala português/inglês/alemão/espanhol?
Est-ce que vous parlez portugais/anglais/allemand/espagnol?
és-ke vu par-lê por-ti-gué/an-glé/a-le-man/es-pa-nholl

Alguém aqui fala português?
Est-ce qu’il y a quelqu’un ici qui parle portugais?
és-ki-li-á kéll-cã i-ci ki par-le por-ti-gué

Não falo francês
Je ne parle pas français
je ne par-le pa frran-cé

Não sei
Je ne sais pas
je ne sé pa

Qual é o problema?
Qu’est-ce qui ne va pas?
kés-ki ne va pa

Pode falar mais devagar, por favor?
Pouvez-vous parler plus lentement, s’il vous plaît?
pu-vê-vu par-lê pli lã-te-mã sill vu plé

Pode escrever isso para mim, por favor?
Pouvez-vous me l’écrire, s’il vous plaît?
pu-vê-vu me le-crrir sill vu plé

Eu me perdi
Je me suis perdu
je me su-í per-di

Vá embora!
Allez-vous-en!
a-lê-vu-zã

Conversas com Recepcionistas

Tenho um encontro com …
J’ai rendez-vous avec …
jé rã-de-vu a-véc

Gostaria de ver …
J’aimerais voir …
jé-mêr-ré vo-ar

Aqui está meu cartão
Voici ma carte
vo-a-ci ma car-te

Minha empresa é …
Ma compagnie est …
ma com-pa-nhi-e é

Posso usar seu telefone?
Est-ce que je peux utiliser votre téléphone?
és-ke je pe i-ti-li-zê vó-tre te-le-fó-ne

 

Próxima página

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.