17/12/2010

Dicas Sidney: Perguntas Freqüentes sobre Visto Americano

Enviado em CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 17:31 por sidneycambio

  1. Qual é o horário de funcionamento da Seção Consular?
    A Seção Consular está aberta para o público de segunda à sexta-feira, exceto nos feriados americanos e brasileiros. Como os horários de atendimento variam de acordo com cada Consulado ou Embaixada, solicitamos que verifique a página sobre Horário e Informações para contato para obter o endereço e o horário de funcionamento apropriado.
  2. Preciso de um visto para entrar nos Estados Unidos?

    Sim. O visto de entrada nos Estados Unidos da América (EUA) é necessário para todo o cidadão brasileiro, inclusive crianças, mesmo se estiver simplesmente em trânsito em um aeroporto nos Estados Unidos. No entanto, se você possui dupla nacionalidade e possui um passaporte de um dos países participantes do Programa de Isenção de Visto, poderá não precisar de um visto para os EUA para viagens a turismo, negócios ou trânsito, se este passaporte preencher os requisitos necessários exigidos pelo governo americano.
  3. Preciso de um visto mesmo que eu esteja apenas em trânsito nos Estados Unidos? Só estarei passando umas duas horas no aeroporto.

    Sim. Desde agosto de 2003, todos os passageiros de viagens aéreas internacionais que passem ou voem sobre os EUA em trânsito precisam de um visto apropriado para esta finalidade (visto de trânsito). Mais…
  4. Qual a diferença entre um visto de imigrante e um visto de não-imigrante?
    Vistos de imigrantes são destinados a pessoas que desejam residir permanentemente nos Estados Unidos.Geralmente são emitidos para familiares de cidadãos americanos e para pessoas de outras nacionalidade que já tenham obtido a condição de residente permanente legal nos EUA, bem como para funcionários cujos empregadores nos Estados Unidos se responsabilizem por suas solicitações de Imigração.  Um visto de não-imigrante, por outro lado, é destinado a pessoas cujo propósito é realizar uma viagem temporária aos Estados Unidos. Vistos temporários podem incluir uma variedade de propósitos (cada um com o tipo de visto mais apropriado), assim como uma variação no tempo de permanência nos Estados Unidos. A principal diferença entre vistos de imigrantes e vistos de não-imigrantes é que um visto de imigrante permite ao seu portador residir permanentemente nos Estados Unidos; um visto de não-imigrante requer que o solicitante deixe os EUA ao final do periodo de permanência temporária no país que lhe foi concedido pelos oficiais do Departamento de Segurança Nacional (DHS) no momento da solicitação de entrada no país. As regras que se aplicam para se qualificar a um visto de não-imigrante são diferentes das que se aplicam a um visto de imigrante. Para mais informações sobre vistos de imigrantes, favor verificar esta página de informação.
  5. Nos casamos recentemente no Brasil, e um de nós é um cidadão Americano ou um residente permanente legal nos Estados Unidos. Como podemos nos mudar para os Estados Unidos juntos?

    Você precisa solicitar um visto de imigrante para seu marido/esposa que não é um cidadão Americano ou residente permanente legal. CR-1/IR-1s são os vistos de imigrante para brasileiros que se casaram com cidadãos americanos no Brasil e que desejam residir nos EUA. Se o cidadão americano mora nos Estados Unidos, ele deve solicitar uma petição junto ao escritório de imigração local (USCIS). Será necessário preencher a petição I-130, que pode ser encontrada no site do USCIS. Se o americano estiver residindo no Brasil, deve solicitar esta petição em qualquer Consulado ou na Embaixada Americana no país, mas seus processos serão enviados para o Consulado no Rio de Janeiro, onde todas as petições de Imigração são processadas no Brasil. Atenção: Se o marido/esposa for um residente permanente legal, e não um cidadão americano, então ele ou ela deve solicitar uma petição para um visto F2A para o/a cônjuge que pretende imigrar, o qual pode ser solicitado somente nos Estados Unidos. Mais informações estão disponíveis neste link.
  6. E se não formos casados ainda, mas planejamos nos mudar para os Estados Unidos e nos casar logo depois?

    Neste caso, o visto apropriado é o visto de noiva: K-1, o qual é disponível somente para um(a) solicitante que se vai casar com um cidadão ou cidadã dos Estados Unidos. Pessoas que entram nos EUA com um visto K-1 devem se casar com o cidadão americano dentro de 90 dias a partir da data de entrada no país. O cidadão americano deve dar entrada em uma petição I-129F no escritório de imigração local (USCIS) nos Estados Unidos. Embora seja considerado um visto de não-imigrante, devido ao seu status temporário, o visto K-1 é processado como qualquer outro visto de imigrante no Rio de Janeiro. Para mais informações, por favor verifiqueeste link.

  7. Há alguma taxa de solicitação ao visto?

    Sim. Para cada solicitação é cobrada uma taxa não-reembolsável em reais, Clique aqui para saber o valor da mesma. Esta taxa deve ser paga somente em espécie, com antecedência, em uma das agências autorizadas do Citibank.  É indispensável apresentação do comprovante original do pagamento da taxa no dia da entrevista. Não serão aceitas cópias, mesmo que estejam autenticadas.
  8. Eu tenho que pagar alguma taxa adicional pelo visto?

    Além da taxa de solicitação, nenhuma outra taxa é cobrada para o visto de turista (B-2). No entanto existemtaxas adicionais para outras categorias de vistos, baseadas na reciprocidade entre o Brasil e os Estados Unidos. Estas taxas devem ser pagas imediatamente após o término da entrevista de visto, caso o mesmo seja aprovado, no caixa da Seção Consular e podem ser pagas em espécie (dólar ou real) ou pelo principal cartão de crédito.
  9. Se eu não for um cidadão brasileiro ou se sou brasileiro, mas também tenho outra nacionalidade, ainda assim tenho que pagar as taxas adicionais de visto?

    Depende. Se você pretende viajar com seu passaporte brasileiro então as taxas descritas na questão anterior (e o link fornecido) se aplicam. Se, no entanto você for viajar com o passaporte válido do outro país do qual também possui nacionalidade, então estas taxas adicionais podem ser diferentes. Por favor, consulte as informações referentes ao seu país, disponíveis aqui. Observe também as informações fornecidas abaixo, relativas a solicitantes de outros países que desejem solicitar vistos para os Estados Unidos no Brasil.

10.  Devo comparecer pessoalmente ao Consulado?

Todos os requerentes que não se enquadrem em um dos critérios de isenção de entrevista deverão comparecer pessoalmente à Embaixada ou Consulado Americano para o qual estiverem agendados.

11.  Qual o tempo médio de espera para que eu seja atendido no dia da minha entrevista agendada?

Fazemos todos os esforços para que os solicitantes de visto permaneçam o mínimo de tempo possível na Embaixada ou no Consulado. Ao mesmo tempo, existe uma série de procedimentos que precisam ser efetuados antes da entrevista de visto. É muito importante que você chegue o mais próximo possível do horário de seu agendamento e tenha em mente que aproximadamente 150 pessoas podem estar agendadas para o mesmo horário e bloco de agendamento. Agendar solicitantes desta forma nos permite atender um número maior de pessoas que pretendem viajar aos Estados Unidos com um grau maior de eficiência. Devido a grande quantidade de pessoas solicitando vistos, por favor, esteja ciente que devido a uma série de fatores, poderá permanecer várias horas na Embaixada ou Consulado. Aconselhamos as pessoas a trazerem algo para ler ou comer. Em Brasília, São Paulo e no Rio de Janeiro existem pequenos estandes na área interna de espera que vendem comida e bebida para os solicitantes.

12.  Existe algum privilégio para solicitantes que possuem necessidades especiais?

Damos preferência para solicitantes idosos, gestantes, pessoas com criança de colo (menores de dois anos), deficientes físicos ou que tenham algum outro tipo de necessidade especial. Estes solicitantes tem um atendimento priorizado em relação aos demais, para que possam permanecer menos tempo na Embaixada ou Consulado.

13.  Como são atendidos os solicitantes que não falam português ou não podem falar?

Solicitantes que falam português ou inglês não terão problemas durante suas entrevistas. Solicitantes que falem espanhol também podem se comunicar neste idioma, dependendo do staff de cada Consulado e também da similaridade entre o espanhol e o português. No entanto, recomendamos que solicitantes que não falem nenhum destes idiomas tragam um intérprete com eles. Da mesma maneira, pessoas que não podem falar devem comparecer a entrevista acompanhada por um intérprete de linguagem de sinais, por exemplo. Estes Intérpretes não precisam ser licenciados, podendo inclusive ser membros da família ou amigos. O mais importante é que a pessoa seja capaz de traduzir corretamente as perguntas do entrevistador e as respostas do solicitante. Cabe ao solicitante a responsabilidade de garantir que o intérprete possua esta qualificação.

14.  Como faço para solicitar um visto?

Todas as pessoas interessadas em solicitar um visto para os EUA devem agendar uma entrevista individual, através do Serviço de Informação de Vistos.  As entrevistas são agendadas de segunda a sexta, nos dias de trabalho normal.  O público se pode comunicar com o Serviço de Informação de Vistos pelo site: http://www.visto-eua.com.br/ ou pelo telefone 0(xx)21-4004-4950, de segunda à sexta, das 8:00 às 20:00 horas. O Serviço de Informação de Vistos fornecerá as instruções sobre como efetuar o pagamento da taxa de R$ 38 (trinta e oito reais), que inclui o tempo de 10 minutos para ser utilizado em uma ou mais ligações telefônicas, e permite o agendamento de entrevistas para até cinco (5) pessoas de uma mesma família. Esta taxa cobre o acesso a informações sobre vistos tanto no website como através dos operadores do centro de atendimento do Serviço de Informação de Vistos, mas não cobre as despesas do envio dos passaportes pelo serviço de entrega expressa.

Observe que, para poder marcar uma entrevista “online”, você deve escolher uma opção de pagamento “online”. Estas opções incluem todos os principais cartões de crédito, cartões de débito ou boletos bancários. No entanto, os solicitantes que escolherem a opção do boleto, somente conseguirão acessar as informações necessárias para a solicitação de visto e marcar sua entrevista no dia útil seguinte ao pagamento do boleto.

Não serão aceitas solicitações enviadas pelo Correio.

15.  Estou tendo dificuldades para agendar a entrevista de solicitação de visto. Quem devo contactar?

O Serviço de Informações e Agendamento possui uma central de Suporte Técnico que pode ser contatada pelos solicitantes. Favor ligar para: (21) 2108-9199 ou (55) (21) 2108-9199 se estiver ligando fora do Brasil.

16.  Quais os documentos que devo apresentar quando solicitar o visto?

  • Passaporte assinado pelo portador e válido por pelo menos 6 meses a partir da data da viagem. Passaportes anteriores, especialmente aqueles que contenham vistos para os Estados Unidos, mesmo que vencidos, também devem ser apresentados, caso ainda os possua.
  • Página de confirmação do preenchimento do formulário online DS-160. Só será aceita a página de confirmação do formulário DS-160. Por favor, lembre-se de preencher o formulário com antecedência mínima de 72 horas da data marcada para sua entrevista.
  • Recibo original de pagamento do Citibank da taxa de solicitação de visto. Não serão aceitas cópias autenticadas.
  • Uma foto recente (tirada nos últimos seis meses), 5x5cm (ou 5x7cm), colorida e com fundo branco.
  • Documentos que demonstrem condições financeiras para custear a viagem e retornar ao Brasil e que evidenciem os fortes vínculos da pessoa com o país (ex.: carteira de trabalho, declaração de imposto de renda de pessoa física e jurídica, contra-cheques, certidão de casamento/nascimento, comprovantes de bens como carro, casa ou outra propriedade, ou qualquer outra renda, como aluguel, poupança, etc.). Para informações detalhadas sobre documentos adicionais requeridos, por favor,clique aqui.

 

17.  Preciso apresentar os passaportes de meus familiares para a entrevista, mesmo se os mesmos não estão pretendendo viajar?

Embora não seja um item obrigatório, trazer os passaportes de seus membros familiares pode ser extremamente útil em estabelecer seus laços com o Brasil.

18.  Se meu visto for concedido, como irei receber meu passaporte de volta?

Passaportes são normalmente devolvidos de um a três dias úteis após a data da entrevista, quando autorizados a serem pegos na Embaixada ou Consulado na parte da tarde, ou através do serviço de entrega expressa, que é o sistema mais utilizado pela maioria dos Consulados. Como o horário de entrega e o sistema de devolução dos passaportes variam de acordo com cada posto consular, por favor, verifique a página de horários de atendimento da Embaixada ou Consulado onde irá solicitar o seu visto.

Em São Paulo e no Rio de Janeiro, para que o grau de eficiência do processamento de vistos seja maior, todosos passaportes são devolvidos pelo serviço de entrega expressa, exceto em casos de emergência que requeiram viagem imediata. Os passaportes serão devolvidos no endereço que você fornecer ao serviço de entrega expressa entre dois (2) a 7 (sete) dias úteis após o dia da entrevista, a menos que você tenha sido informado que haverá necessidade de processo adicional. Se o grupo de pessoas com que você estiver viajando incluir pessoas que morem em endereços diferentes (ex. avós viajando com os filhos e netos), por favor, informe ao Oficial Consular no momento da entrevista para que ele ou ela possa anotar os protocolos de acordo, para assim assegurar a entrega apropriada dos passaportes.

Situações de emergência que requeiram viagem imediata não incluem situações que poderiam ter sido evitadas com planejamento antecipado.

O serviço de entrega expressa requer uma taxa que será cobrada de acordo com a cidade de residência do solicitante.

19.  Quero marcar minha viagem com o máximo de antecedência. Quanto tempo levará para que eu receba meu passaporte com o visto?

O tempo exigido para emitir os vistos e devolver os passaportes para os solicitantes já foi respondido na questão anterior. No entanto, recomendamos que os solicitantes não marquem suas viagens até que tenham recebido seus passaportes com o visto. Não há como garantir que seu visto será concedido. Além disso, alguns solicitantes podem ser requisitados a trazer documentos que não foram apresentados na entrevista e que são essenciais ao seu processo, ou possuem um ferimento que nos impede de fazer a tomada das impressões digitais, ou terão que passar por algum processo adicional. Nesse casos, mesmo que o visto seja eventualmente emitido ocorrerá um atraso no tempo normal de processamento. A melhor forma de evitar situações desconfortáveis, como ter comprado uma passagem aérea e depois ter o visto negado, ou ter que arcar com os custos envolvidos com a mudança de passagem aérea é esperar até que o seu passaporte com o visto esteja em suas mãos. Se estiver em uma situação de emergência inesperada, é possível fazer um pedido de antecipação do agendamento de sua entrevista, mas não há ainda como oferecer garantias de que o visto poderá ser processado a tempo de sua viagem.

20.  Eu tenho alergia nos meus dedos. Isto será um problema quando coletar minhas impressões digitais?

Todos os solicitantes entre 14 a 79 anos são requisitados a ter suas impressões digitais coletadas como parte do processo de solicitação ao visto. Caso possua alergia nos dedos, esta coleta pode ser dificultada. Se os seus dedos são permanentemente afetados por uma alergia ou outro problema semelhante, deverá trazer então uma carta de um médico registrado para sua entrevista, indicando que esta sua condição é permanente.

21.  Como devo proceder se meu passaporte expirar e o visto ainda estiver válido?

É possível solicitar entrada nos EUA até a data de expiração do visto que estiver válido. Portanto, viaje com os seus dois passaportes, o passaporte expirado com o visto válido e o passaporte novo.

22.  Planejo tirar um passaporte novo, mas ouvi que a Polícia Federal do Brasil irá reter meu passaporte antigo. O que devo fazer?

Recomendamos que antes de renovar seu passaporte faça uma cópia de cada página de seu passaporte anterior, incluindo as primeiras páginas que contém o número do passaporte e informações pessoais. Embora esta informação não seja requisitada, poderá ser útil quando solicitar seu próximo visto.

23.  Eu tenho um visto com meu nome de solteira. Agora estou casada e meu nome mudou. Eu preciso de um novo visto?

Não, você não precisa de um novo visto. É possível solicitar entrada nos Estados Unidos com o seu novo passaporte com seu nome de casada e seu passaporte antigo com seu nome de solteira. Caso queira, você também pode levar uma cópia de sua certidão de casamento, que poderá servir de auxílio para clarificar quaisquer dúvidas. Assegure-se ainda de que seu visto válido não esteja danificado.

24.  Possuo um visto que foi emitido vários anos atrás sem nenhuma data de expiração. Este visto ainda me permite viajar?

Após 1995, todos os vistos deste tipo foram limitados pela lei a no máximo 10 anos de validade. A esta altura, todos os vistos emitidos naquela época já expiraram. Se ainda possuir este visto e tentar utilizá-lo para entrar nos EUA, poderá ser enviado de volta ao seu país. Você terá que solicitar um novo visto.

25.  Meu passaporte com um visto dos EUA foi perdido/roubado. O que devo fazer? Como posso cancelar o visto?

Primeiramente você deve fazer uma ocorrência no posto policial mais próximo do local onde seu passaporte foi perdido ou roubado para que seja emitido um boletim de ocorrência policial detalhando o incidente. Não se esqueça de tirar uma cópia desse boletim para seus próprios registros. Se o incidente aconteceu em alguma viagem fora do seu país, você não precisa se preocupar em que língua a ocorrência foi escrita contanto que tenha sido gerada pela polícia local no país onde você estava quando ocorreu o incidente.  Após, preencha o formulário de Passaporte Perdido ou Roubado, disponível pela Consulado ou Embaixada dos EUA de sua jurisdição. Envie esses documentos (boletim de ocorrência policial e formulário) através de fax ou e-mail para oConsulado ou Embaixada dos EUA onde o seu visto foi emitido. Por favor, inclua seu nome completo, data e lugar de nascimento, informações de contato (inclusive seu e-mail se possível), o número de passaporte perdido/ roubado e o tipo de visto. Caso possua cópias do passaporte e/ou visto, inclua-as também ao fax ou ao e-mail.

26.  Meu passaporte com visto válido foi roubado/perdido/danificado. Posso obter uma cópia do visto em meu passaporte novo?

Infelizmente vistos para os Estados Unidos perdidos, roubados ou danificados não podem ser substituídos. Você terá que solicitar um novo visto em um Consulado ou Embaixada dos EUA. Por favor siga as instruçõessobre como solicitar um visto para os EUA. No caso de roubo ou perda, além da documentação necessária, leve uma cópia do boletim de ocorrência policial para a entrevista e do formulário de Passaporte Perdido ou Roubado disponível pela Embaixada ou Consulado onde irá solicitar o visto.

27.  Quando recebi meu visto eu descobri que ele continha um erro. O que devo fazer?

Fazemos todo o possível para assegurar que os vistos impressos contenham todas as informações corretas referentes ao nome completo da pessoa, data de nascimento, nacionalidade, sexo, tipo e categoria do visto, número do passaporte, e a data de validade. Felizmente, erros são muito raros de acontecer. Entretanto, se voce descobrir algum erro, será importante que traga seu visto ao posto consular que o emitiu. O procedimento para corregir erros no visto varía entre os postos; por favor faça essa verificação junto ao posto que emitiu seu visto.

28.  Ouvi dizer que os vistos de não-imigrante que foram emitidos antes dos atentados de 11 de Setembro foram cancelados. Isso é verdade?

Não, isso não é verdade. Todos os vistos de não-imigrantes emitidos pelos Consulados ou Embaixada dos EUA continuam válidos até a sua data de expiração.

29.  Devo apresentar a passagem aérea ao solicitar o visto?

Este não é um documento exigido para solicitar um visto. Além disso, não recomendamos a compra da passagem aérea antes da obtenção do visto.  No entanto, talvez tenha que apresentar suas reservas de viagem quando em trânsito nos Estados Unidos.

30.  Se meu pedido de visto for negado, quanto tempo devo esperar antes de solicitar novamente?

Você poderá solicitar o visto novamente em qualquer momento, através do agendamento de uma nova entrevista. Voce terá que apresentar novos formulários e pagar nova taxa de solicitação de visto. Como seus laços sociais, profissionais, econômicos, e financeiros serão novamente avaliados você deve considerar fazer a nova solicitação até que as circunstâncias tenham se modificado.

Para mais informações sobre vistos negados clique aqui.

31.  Um cidadão norte-americano pode se responsabilizar pela minha solicitação ao visto?

Não, cidadãos norte-americanos não podem se responsabilizar pela solicitação ao visto. Os solicitantes a visto devem ser qualificados para o visto de acordo com os seus próprios vínculos com o Brasil.

32.  Não ajuda o fato de um cidadão americano estar se responsabilizando por minha viagem?

Não necessariamente. Não existe dentro da lei nenhuma cláusula que estabeleça que um cidadão americano possa pagar pelos custos da viagem e oferecer garantias de que deixará os EUA após o final do período de estada autorizada no país. Devido a isso, o fato de um cidadão americano se disponibilizar a pagar por sua viagem não ajuda necessariamente sua solicitação. Você ainda terá que comprovar, por si mesmo, laços suficientes com o Brasil que convençam o Oficial Consular que deixará voluntariamente os Estados Unidos ao final de sua visita.

33.  Eu não sou brasileiro. Posso solicitar um visto no Brasil?

A Embaixada e todos os Consulados aceitam solicitações de todas as pessoas que residam ordinariamente no Brasil (brasileiros e estrangeiros). Se você não for brasileiro, mas sua residência habitual é no Brasil deve seguir o mesmo processo que os brasileiros e agendar sua entrevista para solicitar o visto.  Se, no entanto, for um cidadão estrangeiro que não reside no Brasil e planeja solicitar um visto durante sua visita ao Brasil, nós recomendamos que solicite seu visto no seu país ou no país de sua residência habitual. Se decidir solicitar seu visto no Brasil, por favor, observe que não há garantias que seu visto será aprovado, pois os Oficiais Consulares poderão se encontrar em uma posição onde não será possível avaliar a sua solicitação de maneira apropriada. Será necessário agendar a entrevista através do processo normal

34.  O meu passaporte brasileiro precisa estar válido por seis meses além da data de minha partida dos Estados Unidos?

Não. Se seu passaporte não estiver válido por pelo menos seis meses a partir da sua data de saída dos Estados Unidos, isso não afetará sua viagem.  Os Estados Unidos possuem um acordo com o Brasil pelo qual estendem automaticamente a validade de um passaporte para seis meses além da data de expiração desse passaporte.

35.  Eu posso viajar para uma conferência (acadêmica ou profissional) com um visto de turismo (B-2)?

Não. Se o motivo da viagem é ir a uma conferência ou congresso, feira, participar de reuniões ou qualquer tipo de negócios nos EUA você deve solicitar um visto de negócios (B-1).  O visto B-2 é válido somente para viagens a turismo.

36.  Portadores de passaporte da União Européia precisam de visto?

Vai depender do motivo da viagem, da data em que o passaporte foi emitido ou renovado, e da nacionalidade do seu passaporte. Geralmente os portadores de passaportes de países da União Européia que participam doPrograma de Isenção de Vistos não necessitam de um visto para viagens à negócios ou turismo para os EUApor menos de 90 dias desde que seus passaportes atuais possuam código de barras possibilitando leitura ótica e estejam dentro das demais normas exigidas pelo governo americano. Cidadãos de países participantes do Programa de Isenção de Vistos e cujos passaportes não permitam leitura ótica somente poderão solicitar entrada nos Estados Unidos se possuírem um visto válido. Por favor, clique no link fornecido acima para verificar as requisições necessárias para seu passaporte e entre em contato com o Consulado ou Embaixada do país emissor do passaporte para verificar se seu passaporte preenche esses requisitos.  Atenção: Se o motivo da viagem for estudar ou trabalhar temporariamente nos EUA, serão sempre necessários vistos específicos para desempenhar tais funções.    Atenção: se já teve um visto negado em passaporte brasileiro e não teve um visto emitido após a negativa, mesmo que possua um passaporte da União Européia que preencha os requisitos para solicitar entrada nos Estados Unidos sem a necessidade de visto, terá que solicitar um visto.

37.  O que tenho que fazer para solicitar um visto para minha empregada doméstica/babá me acompanhar aos Estados Unidos durante minha visita?

Em algumas circunstâncias, empregados domésticos/babás poderão ter um visto B-1 (negócios) emitido para acompanhar seu empregador aos Estados Unidos por um período de tempo limitado.
É recomendado que o empregador acompanhe seu(s) empregado(s) à entrevista para a solicitação do visto e que estejam preparados para explicar as circunstâncias do emprego. Os vistos só poderão ser emitidos se a(o) empregada(o) e o empregador demonstrarem a necessidade dos serviços serem fornecidos durante a viagem.
Além disso, a(o) empregada(o) doméstica(o) também tem que se qualificar para o visto sob outros aspectos, como já ter trabalhado nesta função por pelo menos um ano, e ter que superar a presunção legal de se tornar um imigrante nos EUA.
Apenas pessoas que residem no Brasil e viajando por um período limitado para os Estados Unidos podem levar empregadas domésticas para acompanhá-los. Cidadãos americanos ou residentes permanente legais (portadores de Green Card) residindo nos Estados Unidos não podem levar uma empregada doméstica para o país com o visto B-1.
Além de terem que agendar e comparecer pessoalmente para a entrevista, e trazer todos os documentos solicitados (formulários, foto, taxas, etc), as(os) empregadas(os) domésticas(os) terão que apresentar  um contrato de trabalho assinado pelo empregador e pelo empregado, em 3 vias (uma para o empregador, uma para o empregado e a terceira para o Consulado), em inglês e português. O contrato deverá conter as seguintes cláusulas:

    • Descrição das tarefas a serem executadas pelo empregado;
      Declaração do empregador concordando em pagar o salário mínimo nacional (http://www.dol.gov/esa/whd/minimumwage.htm), ou, se for mais alto, o salário mínimo estadual vigente, que varia de acordo com a ocupação e a cidade nos Estados Unidos. Esses valores podem ser encontrados no website: http://www.flcdatacenter.com/.

2.  O empregador se compromete a fornecer moradia e alimentação gratuita ao empregado;

3.  O contratante se compromete a fornecer um plano de assistência médica ao empregado;

4.  O empregador fica responsável pelos custos de transporte do empregado, tanto de ida quanto de volta aos/dos Estados Unidos;

5.  Deve se estabelecer o prazo de vigência e condições para o término do contrato. Exemplo: “Este contrato terá validade a partir de … (dia/mês/ano) até …. (dia/mês/ano) e poderá ser extinto com um aviso prévio de um mês por ambas as partes”.

6.  O empregado se compromete a não aceitar outras ofertas de trabalho enquanto estiver trabalhando para o empregador nos EUA;

7.  O empregador se compromete a não ficar de posse do passaporte do empregado;

8.  Ambas as partes concordam que o empregado não pode ser obrigado a permanecer no local após o horário de trabalho, sem pagamento de hora extra.

Qualquer cláusula adicional inserida no contrato será de iniciativa particular entre as partes, desde que concordem com todas as cláusulas, incluindo as obrigatórias supra citadas.

Clique aqui para os documentos necessários

Clique aqui para o modelo de contrato: que direciona para o documento:  fazer o update do contrato de acordo com as informação em inglês.

  1. Eu tive um problema no porto de entrada nos Estados Unidos, mas eu acredito que foi devido a algum erro. A quem posso endereçar essa situação?

    O Departamento de Segurança Nacional possui uma nova página em seu website direcionada às pessoas que tenham questões gerais sobre a viagem aos Estados Unidos, assim como para aquelas que acreditem teremsido sujeitas a erros ou problemas na checagem, no embarque, ou no porto de entrada.  Por favor,clique aqui para mais informações.

  2. Esqueceu de entregar o seu Cartão de Entrada e Saída (I-94/I-94W)? O que fazer?

Se você esqueceu de entregar o seu formulário de saída dos EUA, o I-94 (branco) ou o I-94 W (verde) que, em geral, é grampeado em seu passaporte, pode ser que sua partida não tenha sido registrada.

 

Se você saiu dos EUA em vôo de companhia aérea comercial ou em navio de cruzeiro, sua partida pode ser verificada e não é necessário tentar devolver o I-94. Mas, é importante guardar tanto o formulário quanto o canhoto do seu cartão de embarque para mostrar ao agente da imigração em uma próxima viagem aos EUA.

 

Se você saiu dos EUA por terra, barco ou avião particular, você precisa informar à imigração sobre a sua partida. Se não comprovar em tempo hábil, da próxima vez em que tentar entrar nos EUA ou solicitar visto, o CBP (U.S. Customs and Border Protection) poderá concluir que você nunca deixou o país e que ultrapassou o período de estada legal.

 

Se isso acontecer, seu visto pederá ser concelado e você pode ter que retornar ao seu país de origem imediatamente.

 

Pelo Programa de Isenção de Vistos (VWP), visitantes que ficam nos EUA além do período permitido pela imigração, não poderão retornar aos EUA sem ter solicitar outro visto em um consulado no seu país de origem. Se você viaja pelo Programa de Isenção de Vistos por terra, para o México ou Canadá e, de um desses países, pega um vôo para os  EUA, é imprescindível que registre a sua saída no caso do seu I-94 W não ter sido entregue a um agente da imigração. Se você viaja pelo Programa de Isenção de Vistos e sai dos EUA em vôo de companhia aérea comercial ou em navio de cruzeiro, não precisa se preocupar em registrar sua saída.

 

Para enviar o seu I-94 e registrar sua saída dos EUA, enviar o formulário com outros documentos que provem a sua saída (canhoto do seu cartão de embarque) para:

 

DHS – CBP SBU
1084 South Laurel Road
London, KY

40744

 

Não envie seu formulário I-94 e outros documentos para consulados, embaixadas ou outros escritórios do CBP. Apenas no endereço acima é possível fazer correções nos arquivos de entrada e saída de passageiros. O escritório do London, Kentucky não responde correspondências e não poderá enviar confirmação de recebimento ou de processamento do pedido.

 

Para mais informações, consultar:
CBP online ou CBP.gov

 

 

Dos 20 países mais visitados no mundo, apenas 5 pedem visto para brasileiros

Enviado em CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 17:21 por sidneycambio

ANDRÉ ZARA
RAFAEL MOSNA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Não basta saber se o país para onde você está planejando viajar exige visto. Para se programar sem surpresas desagradáveis é preciso ficar atento ao tempo que o documento levará para ficar pronto. E verificar se será preciso agendar uma entrevista.

A tabela mostra os 20 países que mais recebem turistas segundo levantamentos da OMT (Organização Mundial do Turismo), indica se para entrar neles é preciso solicitar o visto e quanto tempo costuma demorar para tê-lo em mãos.

Dicas Sidney: Saiba como proceder para tirar o visto norte-americano

Enviado em CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 17:15 por sidneycambio

Para não ser pego de surpresa em uma viagem aos Estados Unidos, veja os passos para tirar o visto de entrada naquele país. Os detalhes do procedimento, válidos para vistos de não-imigrantes, foram retirados do site da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Mais informações podem ser adquiridas no próprio site da embaixada e na seção Perguntas Freqüentes.

Para não ser pego de surpresa em uma viagem aos Estados Unidos, veja os passos para tirar o visto de entrada naquele país. Os detalhes do procedimento, válidos para vistos de não-imigrantes, foram retirados do site da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Mais informações podem ser adquiridas no próprio site da embaixada e na seção Perguntas Frequentes.

Para solicitar o visto pela primeira vez, renovar um visto ainda válido ou expirado há menos de 12 meses

  • Primeiro, pague a taxa de R$ 38 através do site “[visto-eua.com.br]“: ou pelo telefone 0/xx/21/4004-4950, da central de agendamentos do Serviço de Informações de Vistos.
  • Faça o agendamento da sua entrevista através do site visto-eua.com.br ou pelo telefone 0/xx/21/4004-4950.
  • Preencha o formulário de solicitação de visto DS-160, em inglês — ao passar o cursor sobre as perguntas, elas são traduzidas para o português. O sistema permite transferir dados iguais no caso de requisição de famílias ou grupos, além de salvar para seguir o preenchimento mais tarde.
  • Pague a taxa de solicitação de vistos equivalente a US$ 131 no Citibank, em espécie e em reais.
  • No dia da entrevista compareça à embaixada ou ao consulado com a página de confirmação do formulário DS-160, uma foto 5×5 ou 5×7 e os documentos recomendados.
  • Dependendo do tipo de visto, pode ser que você precise pagar uma taxa extra no caixa da embaixada ou do consulado, em espécie (dólares ou reais) ou com cartão de crédito internacional.
  • Pague a taxa de envio de seu passaporte ao serviço de entrega expressa antes de sua saída da embaixada ou consulado.

Documentos

  • Leve seu passaporte atual –válido por pelo menos seis meses a partir da data da viagem– e o antigo, caso tenha vistos americanos com menos de dez anos.
  • Página de confirmação do preenchimento online do formulário DS-160.
  • Uma foto 5×5 (ou 5×7), com fundo branco, tirada há, no máximo, seis meses.
  • Comprovante de pagamento da taxa de solicitação de US$ 131 (no valor equivalente em reais), que deverá ser paga com antecedência numa agência autorizada do Citibank. O caixa do Citibank que emitir o recibo de pagamento da taxa deve escrever o nome e o número do passaporte do solicitante no recibo. Recibos sem o nome e o número do passaporte do solicitante podem não ser aceitos.
  • Adicionais: quem deseja tirar o visto deve levar para a entrevista o original de documentos que atestem seu vínculo com seu país de residência, mostrando que há a intenção de deixar os Estados Unidos após visita temporária. Esses documentos podem ser carteira de trabalho, declaração de imposto de renda, contracheques, certidão de casamento, extratos bancários, documento de carro, documento de bens, declaração da escola, declaração do empregador e, no caso de empresários ou sócios, imposto de renda da pessoa jurídica ou certidão recente do CNPJ. Se outra pessoa vai custear a sua viagem é importante levar os documentos dessa pessoa. O oficial consular pode pedir documentos extras, que devem ser levados em outro dia.

Atenção: documentos alterados ou falsos podem fazer com que o visto seja recusado ou que o interessado receba uma declaração permanente de inelegível para o visto. Fraude de documentos é um crime federal no Brasil.

Veja o procedimento necessário para tirar visto de estudante aqui.

Visto de trabalho

Os solicitantes devem trazer a petição de visto de trabalho aprovada pelo Departamento de Segurança Nacional (DHS, antigo Serviço de Imigração e Naturalização INS), além dos documentos que levaram à aprovação da petição de trabalho. Os que estiverem renovando seus vistos devem apresentar também evidência da continuidade do trabalho com a empresa. Se estiverem mudando de empregador devem apresentar a oferta de trabalho recente.

Empregados domésticos ou babás que solicitem um visto para acompanhar seus empregadores deverão apresentar um contrato de trabalho com uma via em inglês e outra em português (uma via de cada), assinados pelo empregador e o empregado.

Entrega do visto

Geralmente, os passaportes são devolvidos de dois a cinco dias úteis após a entrevista, na parte da tarde (ver horários de cada consulado) ou através do serviço de entrega, no endereço fornecido depois da entrevista. Se houver um grupo de pessoas que viajarão juntas e que residam em endereços diferentes, é preciso informar o oficial consular durante a entrevista. O serviço de entrega expressa requer uma taxa extra que será cobrada de acordo com a cidade de residência do solicitante.

Fonte: Site da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

 

Para solicitar o visto pela primeira vez, renovar um visto ainda válido ou expirado há menos de 12 meses

  • Primeiro, pague a taxa de R$ 38 através do site “[visto-eua.com.br]“: ou pelo telefone 0/xx/21/4004-4950, da central de agendamentos do Serviço de Informações de Vistos.
  • Faça o agendamento da sua entrevista através do site visto-eua.com.br ou pelo telefone 0/xx/21/4004-4950.
  • Preencha o formulário de solicitação de visto DS-160, em inglês — ao passar o cursor sobre as perguntas, elas são traduzidas para o português. O sistema permite transferir dados iguais no caso de requisição de famílias ou grupos, além de salvar para seguir o preenchimento mais tarde.
  • Pague a taxa de solicitação de vistos equivalente a US$ 131 no Citibank, em espécie e em reais.
  • No dia da entrevista compareça à embaixada ou ao consulado com a página de confirmação do formulário DS-160, uma foto 5×5 ou 5×7 e os documentos recomendados.
  • Dependendo do tipo de visto, pode ser que você precise pagar uma taxa extra no caixa da embaixada ou do consulado, em espécie (dólares ou reais) ou com cartão de crédito internacional.
  • Pague a taxa de envio de seu passaporte ao serviço de entrega expressa antes de sua saída da embaixada ou consulado.

Documentos

  • Leve seu passaporte atual –válido por pelo menos seis meses a partir da data da viagem– e o antigo, caso tenha vistos americanos com menos de dez anos.
  • Página de confirmação do preenchimento online do formulário DS-160.
  • Uma foto 5×5 (ou 5×7), com fundo branco, tirada há, no máximo, seis meses.
  • Comprovante de pagamento da taxa de solicitação de US$ 131 (no valor equivalente em reais), que deverá ser paga com antecedência numa agência autorizada do Citibank. O caixa do Citibank que emitir o recibo de pagamento da taxa deve escrever o nome e o número do passaporte do solicitante no recibo. Recibos sem o nome e o número do passaporte do solicitante podem não ser aceitos.
  • Adicionais: quem deseja tirar o visto deve levar para a entrevista o original de documentos que atestem seu vínculo com seu país de residência, mostrando que há a intenção de deixar os Estados Unidos após visita temporária. Esses documentos podem ser carteira de trabalho, declaração de imposto de renda, contracheques, certidão de casamento, extratos bancários, documento de carro, documento de bens, declaração da escola, declaração do empregador e, no caso de empresários ou sócios, imposto de renda da pessoa jurídica ou certidão recente do CNPJ. Se outra pessoa vai custear a sua viagem é importante levar os documentos dessa pessoa. O oficial consular pode pedir documentos extras, que devem ser levados em outro dia.

Atenção: documentos alterados ou falsos podem fazer com que o visto seja recusado ou que o interessado receba uma declaração permanente de inelegível para o visto. Fraude de documentos é um crime federal no Brasil.

Veja o procedimento necessário para tirar visto de estudante aqui.

Visto de trabalho

Os solicitantes devem trazer a petição de visto de trabalho aprovada pelo Departamento de Segurança Nacional (DHS, antigo Serviço de Imigração e Naturalização INS), além dos documentos que levaram à aprovação da petição de trabalho. Os que estiverem renovando seus vistos devem apresentar também evidência da continuidade do trabalho com a empresa. Se estiverem mudando de empregador devem apresentar a oferta de trabalho recente.

Empregados domésticos ou babás que solicitem um visto para acompanhar seus empregadores deverão apresentar um contrato de trabalho com uma via em inglês e outra em português (uma via de cada), assinados pelo empregador e o empregado.

Entrega do visto

Geralmente, os passaportes são devolvidos de dois a cinco dias úteis após a entrevista, na parte da tarde (ver horários de cada consulado) ou através do serviço de entrega, no endereço fornecido depois da entrevista. Se houver um grupo de pessoas que viajarão juntas e que residam em endereços diferentes, é preciso informar o oficial consular durante a entrevista. O serviço de entrega expressa requer uma taxa extra que será cobrada de acordo com a cidade de residência do solicitante.

Fonte: Site da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

 

 

16/12/2010

DICAS SIDNEY: As Atrações Turísticas em Nova York Para Crianças

Enviado em CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 17:10 por sidneycambio

American Museum of Natural History

Mais divertido do que muita gente imagina, o Museu de História Natural nova-iorquino fascina crianças e adultos, principalmente por causa de seus fósseis de dinossauros e do planetário. Gigantesco, ele possui seções com atrações das mais variadas sobre vida animal, antropologia, paleontologia e astronomia.

Tem ainda um cinema em 3D com telas gigantes e efeitos especiais extraordinários. Central Park West, da 77th até a 81st St. M 81st St.

- Museum of Natural History Nova York.

Children’s Museum of Manhattan O CMOM, como é conhecido este museu dedicado especialmente às crianças, recebe todos os anos centenas de milhares de pequenos visitantes.

Suas exposições interativas e temáticas pretendem despertar a curiosidade, incutir conceitos de respeito à diversidade e, é claro, divertir. 212 W 83rd St. na altura da Amsterdam Ave. M 86th St.

Nova York http://www.cmom.org

South Street Seaport Museum

O mais interessante para as crianças nesse museu é visitar as antigas embarcações ancoradas no porto, como o Ambrose, lançado ao mar em 1908; o Helen McAllister, construído em 1900; o Lettie G. Howard, de 1893, restaurado e utilizado em cruzeiros educacionais; o Wavertree, construído na Inglaterra em 1885; e o W.O. Deckerum, um rebocador de madeira de 1930, todo restaurado.

Passeios em barcos do museu, que agradam a crianças e adultos, acontecem ocasionalmente e permitem vistas excepcionais de Nova York, impossíveis de outros lugares.

USS Intrepid (Intrepid Sea-Air-Space Museum)

Lançado ao mar em 1943, este porta-aviões de 275m de comprimento e 93m de largura, hoje atracado em Manhattan, foi transformado em museu.

O interior da embarcação é dividido em áreas temáticas nas quais podem ser vistas de perto cerca de 25 aeronaves militares.

Entre elas estão, além de helicópteros, o famoso Blackbird, avião de espionagem capaz de voar a três vezes a velocidade do som e um exemplar do avião supersônico de passageiros franco-britânico Concorde, aposentado por consumir demais e ser barulhento. A visita permite conhecer a sala dos oficiais e até testar suas habilidades como piloto num simulador de vôo.

http://www.intrepidmuseum.org

No Central Park

No Central Park de Nova York existem inúmeras atrações perfeitas para crianças de todas as idades.

Wollman Rink

No inverno, você pode patinar no gelo nesse rinque ao ar livre, apreciando uma vista espetacular dos entornos.

Durante o verão, funciona no local um pequeno parque de diversões.

* Na altura da 62nd St. Entre pela 5th Ave. M 5th Ave.

Central Park Zoo

O que há de mais legal nesse zoológico são os animais das zonas árticas e temperadas, em especial pandas vermelhos, leões-marinhos, focas, ursos polares, lontras e os pingüins não-conformistas do desenho animado Madagascar.

Ao lado funciona o Children’s Zoo, especial para os bem pequeninos, que podem ter contato com animais como cabritos, porquinhos e carneiros.

Carrossel Crianças podem ter a inesquecível experiência de andar em um carrossel de verdade, daqueles antigões, com cavalos e tudo o mais. Ainda bem que é baratinho, pois vão querer mais…
Fonte: www.manualdoturista.com.br

Dicas Sidney: "As Atrações Turísticas em Paris para Crianças"

Enviado em CÂMBIO, EUROPA, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 15:40 por sidneycambio

Passeios de barco no Sena

- Não é um programa especialmente pra crianças, mas que todas adoram, principalmente as que já não são tão novinhas.  Há vários, o dia todo. Obviamente, os jantares dançantes à noite não são indicados para crianças.

Cidade das Ciências e das IndústriasÉ um misto de museu e parque de diversões voltado para a tecnologia e o conhecimento.

Sua concepção é bastante moderna e a “cidade” — um imenso edifício — é dividida em setores distintos. É muito difícil que você consiga ver e fazer tudo o que há por lá em um só dia.

Considere o tempo de que você dispõe e escolha suas prioridades antes de comprar o bilhete.

http://www.cite-sciences.fr Site oficial.

Explora Como o nome diz, é um lugar para explorar diversas áreas do conhecimento humano através de uma programação interativa; as crianças mesmo realizam experiências, vêem vídeos, mexem em aparelhos.

As áreas de ótica e acústica são as mais divertidas. Seu filho pode, por exemplo, entrar em uma cabine e brincar de maestro

(o movimento de seus braços gerará sons no mesmo ritmo!)

Planetarium O planetário da Cité dês Sciences conta com um simulador astronômico de última geração, o Starball, e com um aparato tecnológico que inclui mais de 120 projetores.

Graças a isso, suas reproduções da abóbada celeste são acuradíssimas.

Géode É uma gigantesca esfera espelhada, uma maravilha arquitetônica instalada sobre um espelho d’água, como se fosse um engenho de outro planeta que tivesse pousado ali.

No seu interior funciona umcinema 180º de tecnologia Omnimax, com uma tela de mais de 1.000m2.

Além da acústica espetacular que realça os efeitos sonoros, visualmente também é incrível.Cinaxe Simulador de vôo onde se projetam filmes.

A cabine se move, acompanhando a projeção e provocando sensações de extrema realidade, em cenas rápidas em que você chega a perder o fôlego.

Uma hora você parece cair num abismo, em outro momento vai colidir contra uma parede…

Os efeitos sonoros também são de boa qualidade.

Cinema Louis Lumière Exibição de curta-metragens em três dimensões, aos quais se assiste usando óculos especiais.

Garantia de grandes emoções!L’Argonaute É um submarino de verdade que você visita por dentro.

Ele fez parte da Marinha Francesa e deu a volta na Terra várias vezes.Cité des Enfants (Cidade das Crianças) Atividades interativas para crianças de 3 a 12 anos, que devem ser acompanhadas obrigatoriamente por no mínimo um adulto e no máximo por dois.

Cité de la Musique Inaugurada em 1995, a moderníssima Cidade da Música tem um museu com um acervo de 4.500 instrumentos musicais de vários cantos do mundo, do século XVII aos dias de hoje.

http://www.cite-musique.fr Site oficial

Fonte: http://www.manualdoturista.com.br

Dicas Sidney: Turismo para quem viaja com crianças…

Enviado em CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 13:50 por sidneycambio

No que você deve pensar


Pense na criança – Antes de se decidir por uma viagem com com babies, pense no desconforto da criança, que até os 4 ou 5 anos provavelmente não vai curtir muita coisa da viagem, poderá se ressentir da mudança de clima e do jet lag (o efeito das diferenças horárias em nosso relógio biológico), poderá enjoar dentro de um carro, não terá amiguinhos para brincar…

Pense em você mesmo…

– Choros à noite (e você de férias em Paris!), ter que providenciar alimentação adequada à criança, dificuldade em se movimentar com um carrinho etc.

Finalmente, pense nos pobres diabos que estão no avião com você e que terão que passar a noite em claro porque o garoto não pára de chorar…
Viajar com crianças pode ser, em resumo, complicado.

Mas, se você quiser arriscar, muna-se de uma boa dose de disposição, bom humor e equilíbrio emocional para lidar com os problemas que eventualmente possam surgir ao longo da viagem.

Um bom papo antes da viagem pode ajudar Dependendo da criança, pode ser que esse papo “sério” funcione… .

Se seu filho tiver pelo menos uns 5 anos, um bom papo tête-à-tête antes da viagem pode ser útil. Explique a ele o que farão, o que visitarão, mostre a ele o lado interessante das coisas.

Navegue com ele na net, mostrando fotos dos lugares que ele irá conhecer (no site dos Guias GTB tem um monte delas!).

Aproveite para lhe dar uns toques de como deve se comportar durante a viagem:
- nunca encostar numa peça de arte nos museus (não quer arruinar papai e mamãe, não é?);
- nunca atravessar a rua sozinho;
- não bagunçar no avião (não puxar o cabelo do passageiro da frente…);
- nunca se afastar de você etc.
- não entrar no mar sem um adulto por perto
Caso vá para praia ou hotel com piscina, se seu filho for muito novo ou não souber nadar, alerte-o sobre os perigos (embora você tenha que ficar de olhos abertos durante todo o tempo de qualquer forma).

Durante a viagem, deixe no bolso de seu filho sempre um cartãozinho do hotel onde você está hospedado. Ter seu nome e sobrenome escritos no verso do cartão ajudará muito caso ele se perca.
Providências antes de partir
Autorização para viagem:

- Não basta ter o passaporte; para um dos pais sair do Brasil acompanhado do filho com idade inferior a 18 anos, é necessária uma autorização por escrito do outro, com firma reconhecida, além da certidão de nascimento do menor.

Há pequenas variações quanto às exigências burocráticas de um Estado para outro. Informe-se no site da Polícia Federal (www.dpf.gov.br).

Passaporte:

- Qualquer menor que for deixar o país, mesmo acompanhado dos responsáveis legais, precisa de passaporte.

Além dos documentos, formulário e taxa idênticos aos exigidos do adulto, é preciso ter autorização de ambos os pais para a emissão do passaporte. Informe-se com detalhes no site da Polícia Federal (www.dpf.gov.br).
Saúde

- Visite o pediatra de seu filho, veja se está tudo em ordem e quais são os medicamentos que deve levar consigo.


Tomar avião com crianças:


- Evite vôos com conexões; se já é naturalmente cansativo para adultos, quanto mais para crianças.
- As mamães que forem viajar com um nenê (ops! os papais também…), podem solicitar com antecedência alimentação especial, mas, se preferir, leve potinhos com a comida habitual de seu filho.
- Lembre-se de também de fazê-lo beber suco ou água mineral para evitar a desistratação causada pela secura do ar dentro do avião.
- Você pode solicitar até fraldas, desde que se lembre de pedi-las pelo menos 48h antes de embarcar.
- Entre seus direitos de mamãe, está o de reservar lugar na primeira fila de poltronas, onde há mais espaço e um berço para crianças até 2 anos.

O inconveniente desse tipo de poltrona é que o braço do assento não pode ser levantado pois, como não há encosto na frente, os braços da poltrona têm que ser fixos para embutir as plataformas onde são servidas as refeições.
- Crianças com menos de 2 anos não pagam a passagem; com mais de 2 anos pagam 50% da tarifa normal do bilhete.
- Não esqueça os apetrechos necessários, como chupeta e ursinho de pelúcia ou outro brinquedo ao qual a criança seja apegada (desde que não seja uma corneta ou apito!). Isso o ajudará a mantê-la calma. Se for maiorzinha e já souber ler, leve livros ou revistas em quadrinhos, que serão uma boa forma de ocupá-la.
- Outra alternativa são filmes exibidos no avião, alguns dos quais podem ser indicados para crianças.

Fonte: http://www.manualdoturista.com.br

 


15/12/2010

Dicas Sidney: Turismo para o público GLS

Enviado em CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 18:47 por sidneycambio

Paradas do orgulho GLS

São festas de rua, coloridas e muito divertidas em que não apenas os gays, lésbicas, bissexuais e transexuais participam, mas também o público hetero mais cabeça aberta: grandes eventos que acontecem em diversos países do mundo.
Fevereiro: Sydney (Austrália)
Março: Bangkok (Tailândia)
Maio: São Paulo (Brasil) | Bruxelas (Bélgica)
Junho: Paris (França) | Londres (Grã-Bretanha) | Roma (Itália) | São Francisco, Nova York e Washington (EUA) | Montreal (Canadá) | Toronto (Canadá) | Ciudad de México (México)
Julho: Munique e Frankfurt (Alemanha) | Lisboa (Portugal)
Agosto: Amsterdã (Holanda)
Novembro: Salvador (Brasil) | Buenos Aires (Argentina)

Sites brasileiros especializados em turismo GLS

http://www.abratgls.com.br -Site da Associação Brasileira de Turismo GLS.

http://www.gaybrasil.com.br – Site gay com boa página sobre turismo.
http://www.guiagaybrasil.com.br – Site de turismo gay.

 

 

Dicas Para Mulheres Viajando Desacompanhadas

Enviado em CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 18:14 por sidneycambio

Dicas para mulheres viajando desacompanhadas


Conhecemos brasileiras que viajaram sozinhas em países muito diferentes do nosso (no norte da África, na Ásia etc.), mas não é para qualquer uma! Um mínimo de malícia e de coragem é fundamental. Dê preferência a viajar a países “exóticos” em companhia de um homem (pai, filho, irmão, amigo, namorado, marido…).

Se não for possível, o mais sensato é convidar uma ou mais mulheres.

Evite as frescas, as complicadas e as maluquetes.
É óbvio que você deve se expressar razoavelmente bem em inglês ou falar a língua do país que pensa em visitar.

Se estiver com amigas, pelo menos uma de vocês deve saber se comunicar de modo adequado. Estar num país estranho e não conseguir se expressar é complicado. Nesse caso, é melhor uma excursão.
Mulheres viajando sozinhas, ou mesmo com amigas, acham muito mais rapidamente companhia, o que eventualmente poderá ser muito bom se encontrarem amigos bonitos, simpáticos e de bom caráter (Deus, que sorte!).

Porém devem ser ainda mais cuidadosas, porque, eventualmente, terão uma péssima experiência se os “amigos” forem bonitos, simpáticos… e de mau-caráter!
Gostemos ou não, é uma realidade: influenciados por imagens do carnaval carioca e seus desfiles “despudorados”, do turismo sexual no norte e nordeste do Brasil e do elevado número de prostitutas brasileiras fixadas na Europa, a brasileira é vista por muitos estrangeiros como “liberal” – no mau sentido.
Na Europa, Estados Unidos, Canadá e Japão é mais seguro viajar só, mas os serviços de imigração nesses países tendem a encarar com certa desconfiança mulheres jovens e bonitas viajando sozinhas e vestindo roupas consideradas provocantes.

Na América Latina esse problema praticamente não existe, mas no quesito segurança, é bom abrir um pouco mais os olhos.

Os países muçulmanos são mais difíceis para mulheres, mesmo aquelas que viajam em um pequeno grupo de amigas.

Nesses países onde o machismo impera, mulheres desacompanhadas são mal vistas e as ocidentais em geral, não apenas as brasileiras, são consideradas “fáceis”.

É possível que algum folgado avance o sinal ou, se você for circular em lugares movimentados, que uma mão invisível no meio da multidão lhe apalpe o bumbum, sem que você saiba quem foi o autor da desfeita.
Se estiver acompanhada por um homem, deixe que ele a escolte encarando nos olhos (se possível com um olhar fulminante!) os tipos mais suspeitos que se aproximem.

Numa situação grave, não hesite, bote a boca no mundo, fale em chamar a polícia. Nesses países, vista-se o mais discretamente possível: evite decotes, minissaias e roupas justas e, conforme o lugar, use um lenço para cobrir a cabeça. Os cabelos são considerados eróticos…
O ideal é usar roupas largas, que podem ser bem confortáveis no verão. Essas roupas – saias, vestidos e blusas – podem ser leves, mas não transparentes contra a luz.

Ou seja, não utilize nada que possa provocar reações indesejáveis. Por mais que isso nos pareça ridículo, são os valores vigentes por lá, onde a mulher deve necessariamente ter um low profile, evitar encarar um homem nos olhos, falar baixo etc. (Que raiva, não?).

Você, na condição de estrangeira, vai se sentir obrigada a respeitar essas regras se não quiser ter aborrecimentos.
Beijinhos no rosto em público nos países muçulmanos, mesmo entre amigos, são mal vistos.

Eles não entendem essa “intimidade” e possivelmente imaginarão que você realiza verdadeiras orgias! Por falar nisso, em certos países o beijinho no rosto é como no Brasil, mas em outros não é costumeiro.

O melhor é observar como as coisas funcionam em cada lugar para não cometer gafes.
Lembre-se de que as vítimas preferidas de marginais no mundo todo são turistas estrangeiros e mulheres.

Como você estará em ambos os “grupos de risco”, fique atenta a todas as dicas de segurança.
Em Paris e também nas grandes cidades italianas o assédio é feroz. Na capital francesa geralmente são árabes e africanos que se dedicam à caça de turistas do sexo feminino. Evite aceitar convites de pessoas que você acaba de conhecer. Pode haver um pequeno grupo esperando por você.

Vá explicar depois para a polícia que você foi espontaneamente até o local.

Na Itália existem grupos especializados na abordagem de estrangeiras compostos por “malandros boa pinta”.

Por que eles só abordam as turistas? Ora, porque as italianas não costumam andar por aí com um monte de dinheiro consigo ou vários cartões de crédito… E também não caem no papo deles!
Mulheres desacompanhadas devem evitar tomar trens noturnos, mesmo na Europa e nos EUA. Se não for possível, devem procurar ficar numa cabine em que haja outras mulheres ou em uma cabine privativa – e manter a porta trancada.
Cuidado ao escolher onde vai se hospedar. Não estamos falando só do estabelecimento, mas também das redondezas.

Opte por um bairro que ofereça segurança para você chegar e sair, sobretudo à noite. É óbvio que não se deve circular por ruas escuras e desertas.
Não aproveite a viagem para levar suas jóias para passear. Isso chama a atenção e é um risco desnecessário.

Se não for freqüentar lugares realmente chiques e seguros, é melhor deixá-las em casa.
Quanto a outros assuntos exclusivamente femininos, em todos os países do mundo você encontra absorventes, vendidos, como no Brasil, em farmácias ou nos supermercados.

Mesmo assim, leve alguns para uma emergência, de preferência do tipo interno, que tomam menos espaço na bagagem. É comum o ciclo menstrual sofrer alterações quando se está longe de casa. Não se alarme com isso.

Se a alteração persistir, procure seu médico na volta. Leve seus anticoncepcionais habituais caso viaje para o exterior. Em alguns países esses produtos só são vendidos com receita médica. Se você está grávida, antes de pensar em viajar converse com seu médico. Quando mais adiantada a gravidez, maior é o risco.

E saiba que um mês antes do parto, as companhias aéreas simplesmente podem se recusar a embarcá-la.
Ah, não custa lembrar: depile-se na véspera do embarque.

Durante a viagem pode não ser tão fácil e você também não vai querer perder tempo com isso…



Você Sabia? "A Igreja de Quase Dois Mil Anos"

Enviado em CÂMBIO, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 17:56 por sidneycambio

Ao visitar o Pantheon, em Roma, não espere encontrar uma ruína imperial nem mais uma das incontáveis igrejas existentes na capital italiana.

O antigo templo dedicado a “todos os deuses” (significado de Pantheon em grego), erguido provavelmente por volta de 27 a. C., foi inteiramente reconstruído pelo imperador Adriano entre os anos 117 e 125 e é uma das raríssimas construções romanas que chegaram aos nossos dias praticamente intactas.

É provável que a conservação do Panthon deva-se à sua transformação em igreja católica, no século VII. Não fosse isso, dificilmente escaparia de ter o mesmo fim de outros templos pagãos que, ao longo do tempo, viraram ruínas ou foram destruídos.
O que torna especial a visita ao Pantheon é a oportunidade única de apreciar a sofisticada técnica de construção desenvolvida durante o império romano. Esse método só foi recuperado no começo do século XV, quando Brunelleschi, um grande arquiteto da Renascença, deparando-se com o problema de como construir na catedral de Florença uma cúpula com tamanho compatível ao enorme edifício da igreja, resolveu estudar como o Pantheon de Roma fora construído.

Ou seja, por séculos a fio, a humanidade não conseguiu realizar nada sequer parecido, e é bom lembrar que ele foi feito com pedras, em uma época em que nem se sonhava com a invenção do cimento armado.
A fachada do Pantheon apresenta enormes colunas e frontão triangular, típicos da arquitetura greco-romana.

A surpresa é o interior grandioso, dominado por uma cúpula hemisférica com circunferência de 43 metros. A altura do solo ao ápice da cúpula tem a mesma dimensão, o que resulta em uma perfeita simetria bem ao gosto clássico e dá a sensação de se estar dentro de uma gigantesca esfera.

A iluminação natural vem de uma abertura no meio da cúpula.
É extraordinário que o Pantheon de Roma ainda esteja em pé, enquanto certos empreiteiros atuais não conseguem, nos dias de hoje, mesmo utilizando as mais modernas técnicas, erguer estruturas sólidas…

Acontece que, naquela época, quem construísse um edifício que viesse a desmoronar, causando mortes ou ferimentos, sofria penas muito mais severas do que as modernas.

Por exemplo, há relatos não confirmados de que um tal de Caius Sergius Naius, construtor de uma insulae, equivalente romano do que chamamos de “prédio de apartamentos”, teria sido servido como antepasto às feras do Coliseu depois que o edifício que construiu desabou…

Fonte: http://www.guiasdeviagem.com.br/guia/historias-e-curiosidades/434-igreja-quase-dois-mil-anos.html

Você sabia? Curiosidades: "A história da Estátua da Liberdade"

Enviado em CÂMBIO, EUA, Sidney Câmbio e Turismo, VISTOS tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , às 17:48 por sidneycambio

A estátua que deu trabalho

Frédéric-Auguste Bartholdi (1834-1904) sempre sonhou em construir algo monumental, que ficasse na História. Pensou primeiro em uma grande estátua na entrada do Canal de Suez, dedicada ao progresso humano.

O projeto não suscitou muito entusiasmo, mas dele surgiu a idéia, incentivada pelo influente historiador Édouard-René de Laboulaye, de algo semelhante nos Estados Unidos: uma estátua que representasse a liberdade, fosse um símbolo da amizade entre os dois países e servisse de comemoração para o centenário da Independência dos Estados Unidos, obtida com a ajuda da França.

A Estátua da Liberdade e as french fries

A idéia animou franceses e americanos, que sugeriram a foz do rio Hudson como local para a instalação da Estátua da Liberdade. Naturalmente, a execução da obra ficou a cargo de Bartholdi, que foi pessoalmente a Nova York estudar onde erigi-la. Não teve que pensar muito: ainda no navio, passando ao largo da ilha que, na época, chamava-se Bedloe’s Island, a 600m de New Jersey e 3 km de Manhattan, percebeu que aquele seria o local perfeito.

O nome atual da ilha – Liberty Island – só foi atribuído em 1956 pelo Congresso dos EUA. É irônico lembrar que foi o mesmo Congresso que mudou o nome das french fries – batatas fritas “francesas” – para liberty fries, quando a França se recusou a apoiar a invasão do Iraque. Enfim, a mudança do nome da ilha pegou e a baboseira da batata foi esquecida.

A arrecadação de fundos

Em 1874, Bartholdi iniciou estudos para a obra. Só faltava o dinheiro. Para obtê-lo, foram criados dois comitês: um na França, que começou a trabalhar no outono de 1875, e outro nos Estados Unidos. Ficou acertado que os franceses pagariam a construção da estátua e seu transporte até Nova York e os americanos, o pedestal.

Apesar dos esforços de Ferdinand de Lesseps, construtor do Canal de Suez e coordenador da campanha na França, em 1877 menos da metade do dinheiro a ser arrecadado pelo comitê francês fora reunido. Num esforço de marketing, uma réplica da cabeça da Estátua da Liberdade foi instalada na entrada da Exposição Universal de Paris, realizada no ano seguinte. Todo mundo achou o máximo, mas poucos puseram a mão na carteira.

O comitê teve que recorrer a uma loteria para levantar fundos, suou e finalmente conseguiu obter em 1880 o milhão de francos necessário. Dez anos mais tarde, no dia 4 de julho de 1884, aniversário da Independência dos Estados Unidos, a gigantesca Estátua da Liberdade foi oficialmente entregue ao embaixador americano em Paris.

Foi constrangedor. Não só o pedestal ainda não fora construído, mas o comitê americano que organizara bailes, festas beneficentes e até lutas de boxeadores famosos, não conseguira ainda os fundos necessários para erguê-lo. Na França, a Estátua da Liberdade virou motivo de piada e alguns engraçadinhos chegaram a sugerir que ela fosse instalada em Paris mesmo…

Quando a Estátua da Liberdade, desmontada em 350 peças e embalada em mais de 200 caixas de madeira, chegou a Nova York, em 17 de julho de 1885, transportada pelo navio de guerra francês Isère, a construção do pedestal ainda estava pela metade.

Foi então que, por iniciativa do prestigiado jornalista Joseph Pulitzer, o New York World iniciou uma campanha para chamar seus patrícios aos brios, acusando os milionários e a classe média americana de sovina, ao mesmo tempo em que publicava o nome dos que aceitavam ajudar. Deu certo.

Não apenas o dinheiro para o pedestal da Estátua da Liberdade foi obtido, mas o jornal também se tornou mais popular e ganhou milhares de novos assinantes…

A Estátua da Liberdade, um símbolo americano

Em 1886, as obras foram aceleradas e, no dia 28 de outubro, o gigantesco monumento – Statue of Liberty Enlightening the World (A Liberdade Iluminando o Mundo) – foi inaugurado por Bartholdi, com a presença do presidente dos Estados Unidos Grover Cleveland e de Lesseps.

A cerimônia, que praticamente paralisou Nova York, foi assistida por mais de um milhão de pessoas. O dia da inauguração foi declarado feriado. Como pretendia Bartholdi, a Estátua da Liberdade passou a ser a primeira coisa avistada dos navios que se aproximassem de Nova York.

Efetivamente tornou-se um símbolo para os que deixavam suas pátrias empobrecidas, tentando uma vida melhor nos Estados Unidos em uma época em que o país estava aberto à imigração. No começo do século XX, principalmente, quando a fome assolou a Europa, os EUA tornaram-se uma espécie de Terra Prometida para muitos europeus, que se emocionavam ao passar junto à Estátua da Liberdade.

A Estátua da Liberdade no cinema

Muitos filmes têm passagens ou menções à Estátua da Liberdade, começando por O Imigrante, de Charlie Chaplin, de 1917.

Ela aparece na cena final de Quinta Coluna, de 1942, de Alfred Hitchcock; em O Planeta dos Macacos (meio afundada na areia, em um mundo devastado por uma guerra nuclear); é mencionada por Woody Allen no filme Crimes and Misdemeanours (“The last time I was inside a woman was when I visited the Statue of Liberty…”); aparece em O Poderoso Chefão, de Francis Ford Coppola; e em séries de televisão como Sex and the City.

Aconteceu na Estátua da Liberdade

A Estátua da Liberdade também foi palco de acontecimentos curiosos. Em agosto de 2001, o francês Thierry Devaux tentou pular de pára-quedas do alto, mas ficou enganchado e teve que ser resgatado por cinco policiais, numa operação que tomou uma boa meia hora.

Foi a segunda vez que tentou fazê-lo (a primeira vez fora em 1994). Não deu outra: foi direto da Liberdade para a prisão.

Em 2000, o pacifista porto-riquenho Alberto de Jesus escalou a Estátua da Liberdade com a bandeira de seu país, pedindo a independência da ilha, até hoje um protetorado dos Estados Unidos.

Fonte: http://www.guiasdeviagem.com.br/guia/historias-e-curiosidades/410-historia-da-estatua-da-liberdade.html

Próxima página

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.